Inicio | Igreja | Jovens católicos algarvios realizaram Vias-Sacras para melhor viverem esta Quaresma

Jovens católicos algarvios realizaram Vias-Sacras para melhor viverem esta Quaresma

Via_sacra_jovem_faaro (36).JPG
© Samuel Mendonça

O Secretariado da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve voltou a propor e os jovens voltaram a responder positivamente.

Aquele organismo da Igreja algarvia tinha proposto às paróquias algarvias, através das suas quatro estruturas vicariais, que promovessem nesta Quaresma Vias-Sacras para os jovens que os ajudassem a viver melhor a este tempo de preparação para a Páscoa.

Isso acabou por acontecer em três das quatro vigararias (circunscrições eclesiásticas constituídas por várias paróquias) da Igreja algarvia, envolvendo no total cerca de 800 jovens e também adultos que se quiseram associar.

No dia 20 de fevereiro à noite, realizou-se em Sagres para os jovens das paróquias que constituem a vigararia de Portimão e em Quarteira para os jovens das paróquias que constituem a vigararia de Loulé, respetivamente com cerca de 200 e 300 participantes.

Para os jovens das paróquias que constituem a vigararia de Faro realizou-se na última sexta-feira à noite, em Santa Bárbara de Nexe, com cerca de 300 participantes, incluindo um jovem da Igreja Adventista.

O trajeto, que partiu da igreja, seguiu pela Rua de Faro e terminou no centro paroquial, consistiu em acompanhar espiritualmente o percurso que Jesus fez até à morte, sepultura e ressurreição, com momentos de meditação e oração ao longo de 15 estações. O percurso, marcado por leituras, representações, cânticos, tempos de meditação e gestos carregados de simbolismo, foi introduzido pelo desafio do padre Pedro Manuel, que presidiu à Via-Sacra. O sacerdote aludiu aos personagens que relataram ao longo da caminhada o que viram e sentiram durante os acontecimentos da paixão, morte e ressurreição de Jesus. “Este modelo é o convite a que cada um de nós se identifique com uma dessas personagens que presenciaram o processo de Jesus e a sua execução no Calvário. Se estivéssemos ali, nesses dias que precederam a festa da Páscoa dos judeus, qual teria sido a nossa intervenção? Fugiríamos como os seus discípulos? Estaríamos ao lado de Jesus como Maria?”, questionou.

“Fazer a Via-Sacra é contemplar na terra coisas que só podem ser do céu”, afirmou o sacerdote, evidenciando no final o significado daquele acontecimento. “Não viemos aqui a Santa Bárbara fazer teatro. Ninguém veio aqui encenar coisíssima nenhuma. Viemos aqui professar a nossa fé. Foi como jovens de fé que viemos aqui demonstrar, rezando, que Jesus Cristo nos amou tanto, ao ponto de dar a sua vida por nós, por nós morrer e por nós ressuscitar”, destacou, regozijando-se com a participação de todos. “A Igreja não está perdida. Tanto jovem, com uma frieza destas, louvando e agradecendo a Deus pelo dom da Páscoa de Jesus, só pode ser milagre”, considerou.

A iniciativa contou também com a presença do pároco de Santa Bárbara de Nexe, padre Miguel Neto.

A Quaresma é um período de 40 dias – excetuando os domingos -, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

Verifique também

Paróquia das Ferreiras acolhe Oficina de Oração e Vida

A paróquia das Ferreiras está a acolher uma Oficina de Oração (TOV) e Vida desde …