Pub

Segundo a secção de Faro, as razões que subjazem a esta tomada de posição, decidida em reunião da Comissão Política realizada no passado dia 9 de Março, residem na “circunstância de estarmos perante eleições directas, que irão ocorrer no dia 26 de Março, onde todos os militantes serão chamados a eleger aquele que consideram ser o melhor candidato à liderança do PSD”. “Desse modo, em nome da liberdade de voto e da democracia, da confiança do militante que, de forma livre e responsável, elege qual o candidato que será o melhor intérprete dos desígnios políticos para o partido e para o país, a JSD Faro não se pode rever na tomada de decisão política da estrutura distrital, para a qual não contribuiu”, justifica o documento, acrescentando que a JSD Faro “é contra qualquer imposição de voto” e, como tal, “não irá apoiar nenhum candidato específico” nas próximas eleições nacionais do partido.

Pub