Pub

O executivo PSD, liderado pelo presidente Luís Gomes, diz-se surpreendido com o voto contra por parte da vereadora Jovita Ladeira (PS), “uma vez que as respetivas alterações permitem à empresa municipal usufruir dos mecanismos criados pelo Governo, através do Instituto Financeiro de Desenvolvimento Regional (IFDR), nomeadamente de uma linha de crédito protocolada com o Banco Europeu de Investimento especificamente destinada ao apoio de candidaturas aprovadas no âmbito do QREN”.

“De facto, e tendo em atenção a atual crise económica e financeira que o País atravessa, a execução de grande parte das obras e ações aprovadas pelo QREN encontravam-se comprometidas, devido à quase impossibilidade de negociação de empréstimos bancários a taxas realistas através da banca comercial”, explica a autarquia em nota enviada às redações

A Câmara lembra que o protocolo estabelecido pelo IFDR visa, assim, “acautelar a taxas muito favoráveis o financiamento da contrapartida nacional das candidaturas aprovadas pelo QREN, possibilitando, no caso de Vila Real de Santo António, avançar para a realização de obras de abastecimento de água e tratamento de águas residuais que ascendem a um montante da ordem dos 32 milhões de euros”.

“É verdadeiramente incompreensível o sentido de voto da senhora vereadora Jovita Ladeira”, afirma Luís Gomes. “De facto, é um voto que vai contra as medidas que o próprio Governo do PS conseguiu criar no sentido de não pôr em risco o aproveitamento de fundos comunitários, e por outro lado é um voto que vai contra a possibilidade de realização de obras prioritárias no concelho, como seja, só a título de exemplo, a execução do intercetor que permitirá a resolução do problema das águas residuais da zona sul e central da cidade, garantindo-se finalmente a ligação integral das águas residuais à estação de tratamento.”

Ainda de acordo com Luís Gomes, “parece que a oposição está a contra a utilização de fundos comunitários que são colocados ao dispor das autarquias e das empresas municipais, assim como é impossível entender que a senhora vereadora Jovita Ladeira esteja contra o lançamento de obras estruturantes para o concelho ao nível de saneamento e abastecimento de água, como é o caso”.

“Através da proposta agora aprovada estão criadas finalmente as condições para a SGU poder concretizar as obras candidatadas ao POVT – Programa Operacional Temático da Valorização do Território”, sublinha o documento enviado.

Pub