Pub

Questionado pela agência Lusa sobre o regresso de Macário Correia à Câmara, que suspendeu no início do mês o mandato enquanto aguardava decisão sobre um recurso que apresentou contra a condenação à perda de mandato por alegados licenciamentos ilegais de obras particulares na serra de Tavira, Luis Gomes disse que é uma questão que só o autarca pode justificar.

“Trata-se de uma ato pessoal do engenheiro Macário Correia, que é o detentor do mandato e terá de encontrar justificação para o efeito. Mas o que posso dizer é que o engenheiro Macário Correia pediu à direção nacional do PSD uma reunião, que será acompanhada pela distrital e será no início da próxima semana”, afirmou o presidente da distrital social-democrata de Faro.

O também presidente da Câmara de Vila Real de Santo António frisou que a distrital do PSD vai por isso “pronunciar-se politicamente sobre o caso na próxima semana”, após o encontro com as estruturas nacionais e Macário Correia, que será “na segunda ou na terça-feira”.

Questionado sobre se o regresso de Macário Correia poderia prejudicar a candidatura do partido à Câmara de Faro, encabeçada por Rogério Bacalhau, que presidiu interinamente à autarquia enquanto o presidente estava com as funções suspensa, Luís Gomes respondeu que “o PSD tem um candidato apresentado e não vai alterar as suas candidaturas”.

Macário Correia disse na quarta-feira à Lusa que iria hoje retomar as funções de presidente da Câmara de Faro, por se “terem alterado os pressupostos” pelos quais tinha feito esse pedido.

O presidente da autarquia algarvia tinha pedido a suspensão provisória do mandato enquanto aguardava a decisão sobre um recurso apresentado contra a condenação à perda de mandato por irregularidades no licenciamento de obras privadas em Tavira e entregou o exercício do cargo ao vice-presidente, Rogério Bacalhau.

Lusa

Pub