Pub

Em pergunta ao Governo divulgada em comunicado, o parlamentar refere que esta é uma causa que defende há vinte anos, que se tornou “mais evidente” após a construção da autoestrada entre Lisboa e o Algarve, que veio substituir o antigo itinerário.

Segundo Mendes Bota, a zona do Foral – entre S. Bartolomeu de Messines e Tunes -, é uma área “de grande riqueza e produtividade económica” e com forte componente exportadora, devido às atividades agrícola, florícola, frutícola e viveirista.

“É dificilmente compreensível que um Itinerário Complementar como este, que liga Lisboa ao Algarve, tenha um troço com uma tão grande extensão sem uma ligação ao tecido económico circundante da estrada”, afirma.

De acordo com o deputado, há mais de vinte anos que a população, as empresas e as forças vivas e autárquicas de Silves vêm reivindicando a construção de um acesso da estrada que liga Tunes e S. Bartolomeu de Messines ao IC1.

No conteúdo a pergunta enviada ao Governo, Mendes Bota questiona se o ministério da Economia reconhece a necessidade de fazer construir um acesso ao IC1 para servir a zona do Foral e se existe algum projeto da Estradas de Portugal nesse sentido.

Caso exista, Mendes Bota aproveita para indagar o Governo sobre o calendário previsível para a sua execução.

Lusa

Pub