Pub

A votação decorreu hoje, no quadro da sessão de janeiro da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, reunida durante esta semana em Estrasburgo.

Na abertura da sessão, na segunda feira, Mendes Bota contestou em plenário a aceitação das novas credenciais das delegações parlamentares da Sérvia, do Montenegro e de S. Marino, "por as mesmas não respeitarem a regra recente do regulamento, que obriga a incluir, pelo menos, um representante do sexo subrepresentado (leia-se, mulheres) entre os seus lugares efetivos (em vez da remissão para lugares de suplência, como tem acontecido na esmagadora maioria dos casos até agora)", indica a mesma nota. Em resultado, "aquelas delegações irão ver o seu direito de voto suspenso até resolverem o problema da representação", acrescenta o texto.

Mendes Bota foi nomeado recentemente relator para a emissão do parecer obrigatório sobre a proposta de uma Convenção do Conselho da Europa para a Prevenção e o Combate à Violência Contra as Mulheres e a Violência Doméstica, cuja aprovação está prevista para maio, em Istambul (altura em que a Turquia terminará a presidência rotativa na organização internacional).

Lusa

Pub