Breves
Inicio | Economia | Mexilhão e ostra dominam investimentos na aquicultura no Algarve

Mexilhão e ostra dominam investimentos na aquicultura no Algarve

MexilhaoA aquicultura no Algarve está a crescer e, nos últimos três meses, foram apresentados 83 projetos, no valor de 29 milhões de euros, sendo a produção de mexilhão e ostra os principais investimentos, informou o diretor regional de Agricultura.

Alguns destes projetos prendem-se com o apetrechamento das embarcações, acrescentou.

“A aquicultura está a disparar em termos de investimento ‘offshore’ (no mar) com armações” e há uma “procura enorme nesse tipo de investimento, maioritariamente para produzir mexilhão e ostra” que vai depois para exportação, disse à Lusa Fernando Severino, diretor da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAPAlg).

Fernando Severino assinalou que, desde agosto último até agora, entraram 83 projetos no âmbito do programa ProMar, no valor de 29 milhões de euros.

No atual Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) – de 2007 a 2013 – houve cerca de 500 projetos aprovados no âmbito do ProMar, no valor total de 56 milhões de euros de investimento gerado.

“Há um mar de oportunidades na economia dita azul”, considerou o diretor da DRAPAlg, referindo que o mar já não é só pesca.

“O mar é turismo, o mar é aproveitamento de outros recursos naturais da parte das bioengenharias que vão buscar materiais que não existem em mais lado nenhum, seja para utilização médica, seja para construção”, defendeu aquele responsável.

Em termos nacionais, o mar vale hoje “oito mil milhões de euros” em termos do que produz e, desses oito mil milhões, apenas metade vem da pesca, disse Fernando Severino, recordando que a atual atratividade em relação ao mar não se verifica só na pesca, mas também ao nível do setor marítimo-turístico, turismo subaquático (mergulhos) e observação de aves.

A ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas, reforçou hoje esta aposta na aquicultura, revelando que o Governo vai aumentar a área de exploração.

Segundo a ministra, existem neste momento várias áreas disponíveis para explorações de aquacultura na região, mas o objetivo é também replicar o caso do Algarve e alargar as explorações.

De acordo com a governante, apenas para a exploração de aquacultura, existem 13 projetos para o Algarve, que representam 18 milhões de euros.

Verifique também

Projeto empreendedor apresentado no IX Encontro dos Centros Paroquiais e das Misericórdias

A Diocese do Algarve promoveu no passado dia 15 deste mês o IX Encontro dos …