Pub

Na sequência de uma intervenção que fez ontem na Assembleia da República, em que questionou a estratégia do Executivo para a promoção do emprego e competitividade da economia e das empresas, o deputado acusa em comunicado o Governo de ter como único propósito “a asfixia das entidades formadoras e a desvitalização da sua capacidade de intervenção”.

Segundo o parlamentar, “o mais revoltante é o encerramento dos Centros de Novas Oportunidades (CNO) das Escolas de Hotelaria de Lisboa, Coimbra e Algarve”, instituições em que “1119 pessoas que ficaram sem resposta, já que o CNO encerra dentro de uma semana e ninguém sabe para onde são reencaminhadas estas pessoas”, observa o líder do PS/Algarve.

“Ao encerrar o CNO da Escola de Hotelaria do Algarve, a região fica sem qualquer entidade com competência para o Reconhecimento e Validação de Certificações na área do turismo”, assegura.

O encerramento e não prorrogação do vínculo profissional a 214 trabalhadores profissionais dos 51 CNO do IEFP é também criticado pelo parlamentar socialista, para quem a estratégia do Governo é “matar por asfixia o Programa Novas Oportunidades, não por decisão, mas por inércia, devido à falta de coragem para o terminar”.

Lusa
Pub