Breves
Inicio | Sociedade | Ministério Público investiga anúncio de venda de lince pela Internet alegadamente capturado em Alcoutim

Ministério Público investiga anúncio de venda de lince pela Internet alegadamente capturado em Alcoutim

O Ministério Público está a investigar uma possível venda ‘online’ de um lince-ibérico, espécie em vias de extinção, disse ontem à agência Lusa o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Na origem da investigação está um anúncio, entretanto retirado de uma plataforma de venda pela Internet, mas que a agência Lusa consultou, a fazer a venda “urgente” de um lince-ibérico por um preço “negociável” de 1.500 euros.

O autor do anúncio referia também que o exemplar para venda tinha sido capturado com uma armadilha para raposas no concelho de Alcoutim.

“O animal é muito bravo, mas com o tempo irá ficar mais manso”, prometia o anunciante, acrescentando que vendia o animal porque não queria “ser apanhado com ele em casa” e porque já teria atacado o filho “inúmeras vezes”.

A Lusa questionou o ICNF sobre o caso, por ser o organismo do Ministério do Ambiente que coordena em Portugal o programa ibérico de conservação, reprodução e libertação na natureza desta espécie em risco de extinção, e o Instituto respondeu que “o caso se encontra em tramitação junto do Ministério Público”.

A tramitação pelo Ministério Público foi também invocada pela ICNF para não adiantar, de momento, mais detalhes sobre o caso.

A Lusa questionou também a GNR e fonte do Comando Territorial de Faro da GNR confirmou que “o SEPNA está a cargo do caso”, mas escusando-se a avançar mais informações por a investigação estar a decorrer.

Uma fonte policial disse à Lusa, no entanto, que a fotografia que acompanhava o anúncio foi retirada de uma reportagem televisiva e pôs-se a hipótese de o autor do anúncio nem ter o animal para vender.

“Mas sabe-se que desapareceu um lince em agosto na zona de Alcoutim e em setembro foi encontrada uma coleira, que pode pertencer a esse animal e foi entregue ao Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) para determinar a quem pertencia. Isto já permite também pensar que o animal possa mesmo ter sido capturado e posto à venda”, afirmou a mesma fonte.

Alcoutim foi o concelho português escolhido para acolher os primeiros linces-ibéricos libertados no âmbito do programa de recuperação da espécie realizado por Espanha e Portugal.

O ICNF gere também o Centro de Reprodução do lince-ibérico que existe em Portugal e que está localizado em Silves, mas preferiu não avançar mais detalhes, além da informação de que o Ministério Público está a tramitar o caso.

Verifique também

Câmara de Faro atribuiu nome do padre João Sustelo a praceta da cidade

A Câmara de Faro atribuiu no Dia do Município, 7 de setembro, o nome do …