Breves
Inicio | Política | Municípios algarvios querem instalar Observatório contra Desertificação em Alcoutim

Municípios algarvios querem instalar Observatório contra Desertificação em Alcoutim

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) quer instalar um Observatório Nacional de Combate à Desertificação em Alcoutim, um dos concelhos do país mais afetados pela desertificação e pelo despovoamento.

Em comunicado, a AMAL refere que a principal função deste observatório será “monitorizar, definir e implementar estratégias destinadas a travar a desertificação do país”, funcionando como um espaço de estudo e discussão de soluções para um problema que é transversal ao interior do país.

“Para além de promover as formas de produção típicas de cada localidade, preservar espécies autóctones e melhorar as condições de vida da população que habita em zonas mais vulneráveis, a AMAL pretende contribuir para descentralizar serviços da administração central como estratégia fulcral para reforçar os tecidos económico e empresarial das zonas rurais”, adianta.

Citado no comunicado, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve, Jorge Botelho, refere que a determinação dos municípios do Algarve em fazer frente ao problema da desertificação, “assume um novo formato, para além de um trabalho conjunto focado em atrair investimento para as zonas rurais e criar condições para fixar empresas e empreendedores” no concelho.

Alcoutim, situado no nordeste algarvio, junto à fronteira com Espanha, é o concelho com o menor número de habitantes na região, que nos últimos censos, em 2011, foram contabilizados em 2.917.

O concelho perdeu, desde a década de 1960, aproximadamente dois terços da sua população. Em 1991, tinha 4.571 habitantes e em 2001 3.770, de acordo com dados publicados no sítio de Internet da autarquia.

Na tentativa de contrariar esta problemática, o concelho de Alcoutim tem vindo a desenvolver diversas iniciativas, nomeadamente a criação de uma rede de cooperação e inovação, com o objetivo de estabelecer sinergias entre entidades públicas e privadas.

Foi estabelecida uma parceria com a Universidade do Algarve para possibilitar aos alunos do mestrado em Gestão Sustentável dos Espaços Rurais, lecionado em Alcoutim, o desenvolvimento de teses “in loco” sobre estratégias de combate à desertificação.

Para aquele território foi feita uma candidatura ao Programa de Desenvolvimento Rural 2020 para promover a reconversão de cerca de 30 mil hectares de pinhal através de boas práticas e com vista à promoção da descarbonização.

A AMAL concretizou ainda recentemente o Plano Intermunicipal de Alterações Climáticas do Algarve, do qual irá resultar um plano de ação com a definição de medidas para serem implementadas a sul do país.

Verifique também

Mário Nunes é o candidato da CDU à Câmara de Alcoutim

O empresário agrícola Mário Nunes vai encabeçar a lista da CDU à Câmara de Alcoutim, …