Breves
Inicio | Política | Municípios de Aljezur, Lagos e Vila do Bispo recorrem à justiça para travar fecho de postos dos CTT

Municípios de Aljezur, Lagos e Vila do Bispo recorrem à justiça para travar fecho de postos dos CTT

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A associação de municípios Terras do Infante, que junta as câmaras algarvias de Aljezur, Lagos e Vila do Bispo, vai apresentar uma providência cautelar para travar o encerramento de estações dos CTT na zona, foi hoje anunciado.

Em causa estão as estações de Correios de Aljezur, Praia da Luz (Lagos) e Sagres (Vila do Bispo), mas também a de Carvoeiro (Lagoa), mas um procedimento semelhante vai também ser adotado pela Câmara de Lagoa, afirma a Terras do Infante, num comunicado assinado pela presidente do seu Conselho Diretivo e também da Câmara de Lagos, Joaquina Matos.

A decisão foi tomada pela associação de municípios “após reunião com a Administração dos CTT no passado dia 14”, precisou a Terras do Infante, explicando que o posicionamento foi adotado pelo seu Conselho Diretivo para travar o encerramento das estações de Aljezur, Praia da Luz e Sagres.

“Da mesma forma procederá o município de Lagoa em relação à Estação de Carvoeiro”, garantiu a Terras do Infante, esclarecendo que o vice-presidente da Câmara de Lagoa também participou na reunião com a Administração dos CTT.

No final deste encontro com a cúpula da empresa concessionária do serviço postal em Portugal, a “delegação de autarcas que se dirigiu a Lisboa, e que incluía também o vice-presidente da Câmara Municipal de Lagoa, concluiu que o processo em curso tem como finalidade primeira o encerramento destas estações ou a sua transformação em postos, concessionados a privados”, argumentou.

O encerramento destas estações de Correios nos três concelhos do extremo ocidental do Algarve levará, segundo a associação destes municípios, “à destruição, degradação e desqualificação de um serviço público” e “penalizará as populações, as pequenas e médias empresas, os turistas e comunidade estrangeira residente”.

A Terras do Infante considera também estar em causa “um ataque à qualificação do território, em particular nas baixas densidades, que prejudicará em muito o desenvolvimento social e económico sustentável destas localidades”, e haver “incumprimentos vários ao contrato de concessão do Serviço Postal Universal” por parte dos CTT ao encerrar esses serviços.

Verifique também

Catarina Martins veio ao Algarve prometer esforço para lutar contra precariedade laboral na próxima legislatura

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, garantiu na quinta-feira, no Algarve, que …