Pub

O prazo para apresentação das listas termina na quinta-feira, às 12:00, e o ato eleitoral está marcado para 24 de janeiro, entre as 09:00 e as 21:00, na sede do clube, em Portimão.

“Até agora não surgiram candidaturas e não se perspetiva que venham a ser apresentadas até quinta-feira ao meio dia”, referiu Heliodoro Veiga

O ato eleitoral esteve marcado para o dia 30 de novembro de 2010, um dia depois de terem sido aprovadas, por unanimidade, as contas relativas ao primeiro semestre do ano, mas, face à ausência de listas, o presidente da Mesa da Assembleia-Geral decidiu anular as eleições.

O atual presidente, Fernando Rocha, no cargo desde 2006, mantém-se firme na intenção de não concorrer a novo mandato, apesar do apelo dos sócios para que continue na direção do clube.

Fernando Rocha recusa concorrer, porque entende que se “fechou um ciclo de quatro anos".

O secretário da Mesa da Assembleia-Geral admite que o “vazio” criado pela ausência de candidatos, poderá levar à criação de uma comissão administrativa, caso esta direção não se mantenha em funções até à realização de um novo ato eleitoral”.

Foi com a atual direção que o Portimonense ascendeu à Liga principal do futebol português, com o segundo lugar conquistado na Liga de Honra na época 2009/2010, e reduziu o passivo em cerca de 50 por cento, passando dos dois milhões para cerca de um milhão de euros.

Com cerca de três mil sócios, além da crise diretiva, o Portimonense atravessa igualmente problemas no plano desportivo, já que a equipa de futebol profissional não vence desde 26 de setembro de 2010.

O Portimonense segue esta época no 15.º e penúltimo lugar na Liga principal, com apenas nove pontos.

Os fracos resultados desportivos causaram a troca de treinadores no início do mês de janeiro, com Carlos Azenha a suceder a Litos no comando técnico da equipa, mas nem assim inverteu a tendência de maus resultados, registando duas derrotas em dois jogos.

Na época em que regressou ao “convívio” dos grandes, o clube algarvio está “obrigado” a realizar os seus jogos no Estádio Algarve, em Faro, a mais de 70 quilómetros de “casa”, devido a obras de remodelação do estádio onde habitualmente jogava.

Uma vistoria da Liga detetou problemas numa das bancadas do Municipal de Portimão, obrigando à demolição e reconstrução da estrutura.

Inicialmente prevista para dezembro de 2010, a conclusão dos trabalhos é apontada para o final de janeiro, prevendo-se que o regresso do Portimonense a “casa” seja assinalado no dia 06 de fevereiro, aquando da receção ao Paços de Ferreira, encontro da 18.ª jornada da Liga.

Folha do Domingo/Lusa
Pub