Pub

Os últimos acontecimentos que atingiram o clube – participação da Comissão Executiva da Liga por alegadas declarações falsas com ameaça de descida de divisão – não será alheia à tomada de decisão do técnico figueirense, que, desta forma, pretende todo o grupo reunido e solidário.

Quanto à partida com a formação algarvia, não existe qualquer registo de indisponibilidade no plantel, pelo que se juntarão ainda ao grupo o central Adriano e avançado Bellahssan, jogadores que ainda não têm a sua inscrição oficializada.

“O campeonato entra agora numa nova fase, isto é, à medida que o tempo vai passando começa a existir menos tempo de recuperação. Terminámos a primeira volta com 15 pontos, temos de fazer igual para garantirmos a nossa manutenção na Liga”, explicou o técnico da Naval 1.º de Maio.

O objectivo é começar já a somar, mas Augusto Inácio não espera facilidade: “Para que tal aconteça, temos de somar pontos, mas o jogo que vamos disputar em Olhão, frente a um adversário directo, naturalmente vai ser muito complicado”.
”A conquista dos três pontos constitui o objectivo principal das duas equipas, o que desde logo torna a partida muito complicada dificultando a acção dos dois conjuntos”, explicou o treinador.

Questionado sobre os últimos acontecimentos que envolveram o nome da Naval 1.º de Maio, Augusto Inácio adianta que o grupo está avisado para se manter em “concentração máxima”.

“Reconheço que algumas das coisas que vão surgindo, vão fazendo alguma mossa no grupo, porém, temos de nos afastar desses pensamentos”, finalizou.

O plantel da equipa da Figueira da Foz recebeu hoje a visita do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, que procedeu à entrega do Troféu “Fair-Play” referente ao mês de Novembro à equipa da Naval 1.º de Maio.

O jogo entre o Olhanense, 14.º colocado, com 11 pontos, e a Naval 1.º de Maio, 11.ª, com 15, disputa-se sábado, pelas 16:00, no Estádio José Arcanjo em Olhão, com arbitragem do portuense Vasco Santos.

Pub