Pub

No primeiro domingo da Quaresma, a Igreja do Algarve acolheu 30 catecúmenos provenientes de diversos pontos da Diocese, através da celebração do rito da eleição. Os candidatos foram acolhidos pelo Bispo diocesano, pelas quinze horas do dia treze de Março, numa sala do Seminário de São José, juntamente com os seus familiares, catequistas, amigos e paroquianos. Depois o Senhor D. Manuel Neto Quintas proferiu uma catequese, com apoio de meios audiovisuais, sobre a Quaresma e a sua especial ligação com o itinerário catecumenal. Os 30 catecúmenos pertencem às Vigararias de Portimão, Loulé e Faro, não tendo sido apresentados candidatos originários da Vigararia de Tavira, sendo quatro da Paróquia de Vila do Bispo, uma da Luz de Lagos, três da Matriz de Portimão, uma de Ferragudo, três do Vicariato da Pedra Mourinha, dois do Vicariato do Parchal, dois do Vicariato da Mexilhoeira da Carregação, quatro de Silves, um de Paderne, três das Ferreiras, uma de Salir, uma de Quelfes, três da Sé de Faro. De salientar que sete candidatos vieram de três Vicariatos Paroquiais, ou seja de três novas Comunidades cristãs que ainda não são Paróquias, o que pode querer significar que nestas Comunidades recém criadas e ainda em formação surgem de modo mais espontâneo e natural, interessados que procuram a vida cristã, que desejam tornar-se cristãos e membros da Igreja. Dezassete dos candidatos são homens, com idade entre os 17 e os 45 anos e a média etária de vinte sete anos e meio e treze são mulheres com idades entre os 17 e os cinquenta e cinco anos e a média etária de vinte e seis anos e três meses. A média etária de todos é de vinte e sete anos. Vinte um dos eleitos são naturais da Região do Algarve, três nasceram no Distrito de Setúbal, dois no Distrito de Beja, um em Coimbra e outro em Lisboa e duas nasceram no estrangeiro, uma em Angola e outra na Guiné Bissau. Curiosos será também atentar nas habilitações académicas dos eleitos, dos quais, detêm estudos universitários, sendo oito licenciados, um até com uma pós graduação, havendo uma médica e uma advogada, engenheiros e enfermeiros, um bacharelato e uma que ainda frequenta a Universidade. Somente um dos eleitos, refere estar desempregado, por curiosidade refira-se que possui o 12º ano de escolaridade. Ainda uma outra curiosidade: dois dos eleitos são pai e filho e pertencem à Paróquia da Sé de Faro.

No próximo mês de Abril, irão receber todos os sacramentos da iniciação cristã (Baptismo, Confirmação e Comunhão), alguns na Vigília Pascal na Catedral de Faro, mas a maior parte em suas paróquias de origem. Essa grande celebração será precedida dos escrutínios nos Domingos da Quaresma, da Tradição do Símbolo dos Apóstolos (Credo) e do Pai Nosso, da unção com o óleo dos catecúmenos e do rito do Efátha e de catequeses e oração mais intensa durante toda a Quaresma. Cada candidato tem uma história pessoal e motivações que o levaram a decidir empreender uma jornada de fé como um adulto. Mas a decisão veio depois de anos de reflexão. Em qualquer caso, há sempre uma razão pessoal e, geralmente, as motivações próximas são desencadeadas por relações de amizade e até de enamoramento dentro da comunidade cristã. Entre os candidatos, há aqueles que se sentiram acolhidos numa paróquia ou que estabeleceram novas relações com os crentes, nomeadamente aqueles que tiveram a felicidade de conhecer na Igreja a pessoa da sua vida, que é cristã, e que por isso decidiram começar a caminhada, entrando para o Catecumenado, processo de iniciação cristã, que leva tempo e exige esforço e sacrifício.

Toda a preparação é feita principalmente no contexto paroquial pois " a paróquia é o lugar comum dos cristãos." Isso não significa que a Paróquia seja exclusiva, porque também há outros espaços onde se pode desenvolver um itinerário catecumenal como por exemplo as residências universitárias ou através da capelania da Universidade e também pode acontecer que algum catecúmeno seja confiado aos cuidados de um padre, diácono ou catequista por não haver outros candidatos locais. O processo de formação geralmente leva um par de anos, de três a quatro anos, sendo os candidatos acompanhados directamente pelos seus catequistas e pelos Párocos.

Na sua Mensagem Quaresmal deste ano, o Santo Padre escreve que "um vínculo particular liga o Baptismo com a Quaresma como momento favorável para experimentar a Graça que salva", recordando que "desde sempre a Igreja associa a Vigília Pascal à celebração do Baptismo: neste Sacramento realiza-se aquele grande mistério pelo qual o homem morre para o pecado, é tornado participante da vida nova em Cristo Ressuscitado e recebe o mesmo Espírito de Deus que ressuscitou Jesus dos mortos. Para Bento XVI " a Quaresma oferece-nos um percurso análogo ao catecumenado, que para os cristãos da Igreja antiga, assim como também para os catecúmenos de hoje, é uma escola insubstituível de fé e de vida cristã: deveras eles vivem o Baptismo como um acto decisivo para toda a sua existência."

Pub