Pub

A equipa pacense viu os algarvios inaugurarem o marcador cedo, por Salvador Agra (8 minutos), mas reagiu bem, com golos de Caetano (26) e Javier Cohene (50), que selaram um resultado merecido.

O triunfo permitiu ao Paços de Ferreira saltar para o décimo lugar, com 28 pontos – a nove da zona de despromoção -, uma posição e um ponto abaixo do Olhanense.

Os algarvios entraram mais fortes na partida, chegando à vantagem logo ao oitavo minuto, num golo construído por dois internacionais sub-21 portugueses.

Wilson Eduardo, servido por Mateus, foi à linha de fundo e cruzou atrasado para a entrada fulgurante de Salvador Agra, que rematou sem hipóteses para Cássio, assinando o seu quarto golo na Liga.

O tento contribuiu para que os algarvios deixassem de procurar a baliza pacense com a mesma energia e durante alguns minutos o encontro tornou-se muito lento e pouco ativo.

O Paços de Ferreira reagiu aos poucos e acabaria por chegar à igualdade aos 26 minutos, por Caetano, mais incisivo que Ismaily na reação ao cruzamento de Melgarejo, que tinha aproveitado um mau corte de Vasco Fernandes para ganhar terreno.

Com o empate no marcador, o Olhanense voltou a acordar e assumiu o domínio de jogo até ao intervalo, antes do qual Dady ameaçou por duas vezes, ambas de cabeça (35 e 38), nas melhores ocasiões dos ”rubronegros”.

O início de segunda metade foi bastante emotivo, com o Paços de Ferreira a reentrar ”com tudo”, criando várias ocasiões e chegando ao segundo golo.

Fabiano Freitas esteve no melhor e no pior, somando várias boas defesas (49, 54 e 58) mas ficando com ”culpas no cartório” no segundo golo dos pacenses, aos 50 minutos.

Vítor centrou para um cabeceamento de Javier Cohene, central paraguaio que já serviu o conjunto de Olhão, e o guardião brasileiro defendeu de forma incompleta, deixando a bola escapar-se para lá da linha de baliza.

A reação do Olhanense, que somou o sexto jogo seguido sem vencer em casa, foi feita com mais ”coração” do que ”cabeça” e, tirando um lance de Wilson Eduardo intercetado por Cohene (78), até foi o Paços de Ferreira a estar mais perto do terceiro golo.

Pub