Pub

Na 1.ª parte, a equipa de Olhão não conseguiu travar o jogo simples e seguro dos madeirenses. A jogar em casa, voltou a demonstrar grandes dificuldades em criar ocasiões de golo como tem sido habitual nos últimos jogos. O Marítimo, com um jogo solto, a procurar as desmarcações de Manú e de Baba, criou várias jogadas pela direita do seu ataque, procurando explorar a ausência do castigado Carlos Fernandes, substituído por Stephane. Aos 21’, essa estratégia deu resultado. O avançado Baba isolou-se e foi derrubado na grande área por Ventura que acabou expulso. Bruno Veríssimo, que substituiu Toy, defendeu o penalti mas, o Olhanense ficava reduzido a 10 unidades. Isso reflectiu-se nos minutos seguintes, a equipa orientada por Van der Gaag instalou-se no meio-campo dos algarvios e, após várias insistências, marcou através de Baba. A equipa da Madeira viu dois dos seus remates embaterem no ferro durante a primeira parte. Quanto ao Olhanense, foi pouco objectivo na frente, mesmo com onze jogadores. Teve como lances mais perigosos um remate de Toy aos 11’, ao lado, e outro de Paulo Sérgio aos 32’, que Peçanha defendeu para canto.

Na 2.ª parte, o Marítimo marcou logo na primeira jornada. Foi o pior que podia acontecer ao Olhanense, obrigado a contrariar a desvantagem trazida do intervalo com um jogador a menos. Depois disso, o Olhanense não mais se encontrou. Aliás, o Marítimo teve várias ocasiões para fazer o terceiro golo em jogadas de contra-ataque ou através das várias investidas de Manú pela direita. A equipa algarvia lutou mas não conseguiu ultrapassar as dificuldades inerentes à desvantagem numérica e às ausências no meio-campo. Djalmir fez o golo da ordem mas já foi tarde, a equipa devia ter reagido mais cedo.

A três jornadas do fim da Liga Sagres, adivinham-se dificuldades para o Olhanense que vai jogar à Luz na próxima jornada e recebe o Leixões na penúltima jornada, uma partida que poderá ser uma autêntica final para estas duas equipas. Bem possível de acontecer e que acaba por ser demasiado castigador para uma equipa que já devia ter garantido a presença na Liga principal no próximo ano.

Pub