Pub

Depois de ter ganho ao Benfica no Estádio da Luz com um golo marcado depois dos 90 minutos, a Académica parecia capaz de repetir a “dose” quando Diogo Gomes colocou os anfitriões em vantagem aos 90+1.

Os algarvios, que na época passada foram orientados por Jorge Costa, actual treinador da Académica, responderam na mesma moeda e Yontcha empatou aos 90+4, na marcação de uma grande penalidade, a punir mão de Éder na área da conimbricense.

Na equipa da Académica, a única alteração foi a entrada de Hélder Cabral para o lugar do castigado Addy, expulso com dois amarelos no Estádio da Luz, frente ao Benfica. Por sua vez, o treinador do Olhanense, Daúto Faquirá, não procedeu a qualquer alteração em relação ao jogo da passada segunda feira frente ao Guimarães.

A equipa da casa, em ataque continuado, começou melhor a partida e teve um aliado num defesa algarvio que enviou a bola ao poste da baliza de Moretto (15 minutos), antes de o senegalês Sougou, a passe de Hélder Cabral, ter atirado por cima da barra.

Tardava a reação do Olhanense, mas Jorge Gonçalves (26), o elemento mais esforçado dos algarvios, atirou uma "bomba" que Peiser defendeu para canto, na única investida visitante na primeira parte, já que os "estudantes" retomaram, a partir da meia hora. Até ao intervalo, Orlando e Diogo Gomes ainda ameaçaram a baliza do Moretto.

No segundo tempo, o Olhanense começou melhor, com Paulo Sérgio a causar calafrios num remate para defesa apertada de Peiser, e a Académica não foi uma equipa tão organizada como na primeira parte. Mesmo assim, Miguel Fidalgo teve duas boas ocasiões para concretizar, tal como Sougou.

O golo acabou por chegar para lá da hora, numa oportuna cabeçada de Diogo Gomes, após cruzamento largo da direita de Júnior Paraíba. A segunda vitória parecia certas, mas a mão infeliz de Éder concedeu penalti e ofereceu o empate a Yontcha

Lusa
Pub