Pub

A primeira parte do jogo teve poucas oportunidades de golo. A equipa algarvia raramente conseguiu chegar com perigo à baliza de Bruno Vale, sentindo algumas dificuldades em entrar na área adversária. O Belenenses ia aproveitando algumas perdas de bola dos jogadores do Olhanense para criar algumas jogadas de perigo em contra-ataque. Foi numa dessas jogadas que Lima fugiu aos defesas do Olhanense e, após fintar Ventura, rematou para a baliza. O Olhanense reagiu e, apesar de não criar nenhuma ocasião de golo flagrante, foi incomodando gradualmente a defesa do Belenenses até marcar o golo do empate, surgido da marcação rápida de um livre. Castro, que sofreu a falta que deu origem ao livre, isolou-se e, num remate rasteiro e cruzado, fez a bola passar por baixo do corpo de Bruno Vale. No último minuto, os algarvios ainda podiam ter feito o segundo golo mas ninguém rematou com sucesso. Em contra ataque, o Belenenses também podia ter marcado mas Rui Baião, no último instante, desvia a bola da cabeça do jogador do Belenenses.

Na segunda parte o Belenenses fechou-se muito bem, impedindo o Olhanense de criar jogadas de golo. Voltou a apostar no contra-ataque, construindo jogadas bastante perigosas. Chegou ao segundo golo através de Lima, que respondeu da melhor forma a um livre indirecto. O Olhanense continuava sem ideias, chegou a ver uma jogada anulada que deixa dúvidas, na qual Djalmir marcaria golo e pouco mais fez. O Belenenses consolidou a vitória através de uma grande jogada de Barge, que começou ainda antes da linha de meio-campo, fugiu a vários defesas e não falhou perante Ventura. Até foi a equipa do Restelo a ter hipóteses de ampliar o marcador.

Resultado justo que premiou a entrega e a eficácia dos jogadores do Belenenses. Ainda há uma luz no fundo do túnel para a equipa de António Oliveira. Quanto ao Olhanense, vê desperdiçada uma grande oportunidade de descolar dos últimos lugares e dá um passo atrás na luta pela permanência. Na conferência de imprensa, António Oliveira destacou a entrega dos seus jogadores e espera que esta vitória seja o trampolim para a tão desejada manutenção. Quanto a Jorge Costa, reconheceu que o Olhanense perdeu uma boa oportunidade de consolidar a sua posição na tabela e, quem sabe, de procurar outros lugares na classificação. Referiu, também, que foi o jogo menos conseguido desde que treina em Olhão. A próxima jornada segue dentro de quinze dias.

Abel Ramos

 

Pub