Pub

Os madeirenses acabaram por festejar aquilo que mais queriam, tendo feito um jogo prático, defendendo o empate que lhes garantia a posição europeia, ante um Olhanense mais forte no primeiro tempo.

O Olhanense também assegurou o oitavo lugar final na Liga, mas acaba o campeonato com uma série de sete jogos sem ganhar em casa: a última vitória data de 15 de janeiro (2-1 ao Beira-Mar), em jogo da 15.ª ronda.

O Olhanense praticamente dominou toda a primeira parte, superiorizando-se a meio-campo, onde o trio composto por Fernando Alexandre, Cauê e Rui Duarte assegurava o controlo da bola.

Face a um Marítimo amorfo, os algarvios canalizaram a maior parte das suas jogadas pela direita, onde Salvador Agra se exibia em excelente plano, colocando muitas dificuldades a Ruben Ferreira.

O extremo internacional sub-21, já transferido para o Bétis de Sevilha (Espanha), ofereceu por duas vezes o golo, mas Dady (sete minutos) e Rui Duarte (11) desperdiçaram.

No único ataque perigoso do Marítimo, aos 14 minutos, Fabiano Freitas evitou o golo de Heldon, mas o Olhanense continuou dominador, com Rui Duarte a alvejar o poste de Salin (28).

A primeira parte terminou com um ritmo já mais morno e, no segundo tempo, o panorama manteve-se, com as duas equipas a trocarem a bola a meio-campo, sem capacidade para criar perigo.

Nos únicos lances de maior emoção, Cauê desviou fraco para as mãos do guarda-redes do Marítimo, aos 60 minutos, e Roberto Sousa atirou, de livre direto, à figura de Fabiano Freitas (80)

O Marítimo limitou-se a esperar até final do jogo, acabando por sair contente por ter assegurado a qualificação para as competições europeias.

Folha do Domingo com Lusa
Pub