Pub

Instado a fazer o balanço da primeira volta, Jorge Costa recordou que ainda falta um jogo – da 15.ª ronda – para terminar, mas que o grupo, na 15.ª posição e sem ganhar há 13 jogos, 10 para o campeonato -, está confiante para a segunda metade da prova.

“Podemos terminar esta primeira volta numa posição dentro daquilo que é o objectivo do clube. Portanto, não estando a corresponder em termos pontuais às expectativas, parece-me que, tendo em conta o que temos vindo a fazer, em termos de entrega e qualidade de jogo, as perspectivas para o novo ano são boas e dão tranquilidade para o futuro”, disse.

O técnico salientou que é preciso “mudar o que é mais básico no futebol”, acrescentando: “Sermos mais eficazes na finalização e em termos defensivos e percebermos melhor alguns momentos do jogo”.

“Diria que estamos a melhorar nesses aspectos e ainda temos muito que melhorar, mas temos toda a segunda volta pela frente e tempo para crescer como equipa”, explicou.

Quanto ao jogo com o Paços de Ferreira – que surge depois de uma paragem que o técnico disse compreender “em termos culturais -, Jorge Costa afirmou que o único objectivo só pode ser vencer.

“Não fico satisfeito com o empate. Nesta fase, e sendo um jogo em casa, os três pontos irão ser importantes para moralizar a equipa, para sairmos da situação de tabela em que nos encontramos. O jogo de domingo é, claramente, para conquistar três pontos”, frisou.

Ainda sem reforços oficialmente confirmados – e com apenas uma baixa para o encontro de domingo, o avançado brasileiro Djalmir, por castigo -, o técnico do Olhanense não se mostrou preocupado e, embora diga ser necessário contratar “dois ou três elementos”, sublinhou que o actual plantel dá garantias suficientes.

“Ano novo, vida igual. Para já, temos um reforço de peso, o que me deixa muito feliz, o regresso do João Gonçalves em pleno. Perdemos um elemento (Miguel Garcia) e é fundamental que mais dois ou três entrem, embora a capacidade financeira do clube não permita trazer as mais-valias que existem no mercado. O mais importante é valorizar os que tenho, que são bons e dão garantias”, concluiu Jorge Costa.

O Olhanense, 15.º e penúltimo classificado, com 10 pontos, recebe domingo o Paços de Ferreira, 11.º com 14, em jogo marcado para o Estádio José Arcanjo, às 15:00, com arbitragem de Hugo Miguel (Lisboa).

Pub