Pub

A equipa de Olhão nunca havia pontuado em Leiria, mas hoje foi claramente superior e garantiu a primeira vitória ao terceiro jogo em casa da União de Leiria, com golos de Carlos Fernandes e Paulo Sérgio na primeira parte.

A União de Leiria confirmou o mau momento, somando a terceira derrota nos últimos quatro jogos para a Liga. Os leirienses entraram bastante mal, acumulando erros que deixavam adivinhar uma tarde feliz para o Olhanense.

Lenta e desconcentrada, a equipa da casa caiu no esquema montado por Daúto Faquirá, com cinco médios muito elásticos e pressionantes, que criavam problemas à União de Leiria para sair da sua área.

Logo aos 06 minutos, Bruno Miguel cometeu um erro incrível, oferecendo a bola a Ismaily, mas Djalmir simulou grande penalidade em vez de aproveitar a assistência para inaugurar o marcador.

Somando passes errados e desatenções, a União de Leiria mal passava do meio campo. Pelo contrário, o Olhanense foi mostrando competência e ambição, ocupando bem os espaços e saindo bem para o contra-ataque.

Mas foi na sequência de um pontapé de canto que a equipa de Olhão se adiantou no marcador, aos 18 minutos, com Djalmir a dar um toque de cabeça e Carlos Fernandes a surgir solto a desviar para a baliza.

O Olhanense dilatou a vantagem aos 25 minutos, aproveitando nova falha da defesa leiriense e a perícia de Paulo Sérgio: o médio fugiu pela direita, tirou um defesa e o guarda-redes do caminho e fez o 2-0.

Pedro Caixinha tentou reagir e lançou o avançado João Silva, que se estreou – tal como Fabrício -, mas de nada valeu. Só Pateiro parecia querer remar contra a maré.

A equipa do Algarve dominava e só por infelicidade não foi para o intervalo a vencer por mais. Aos 33 minutos, por exemplo, Djalmir apareceu isolado e foi Gottardi que salvou o terceiro golo. Os centrais Zé António e Bruno Miguel limitaram-se a entreolhar-se, incrédulos.

O controlo do jogo continuou com o Olhanense, mesmo com a União de Leiria mais combativa. Aos 49 minutos Bruno Miguel ainda cabeceou com perigo por cima da baliza de Ricardo Batista, mas no minuto seguinte Ismaily atirou às malhas laterais da União de Leiria.

Com os caminhos bem tapados pelo Olhanense, o técnico Pedro Caixinha arriscou tudo aos 66 minutos, tirando o lateral esquerdo Patrick para colocar em campo o médio ofensivo Cacá, outra estreia, passando ao jogar com três defesas.

Mas o mais perto que a União de Leiria esteve do golo foi aos 84 e 92 minutos, em dois livres diretos de Marcos Paulo, o primeiro defendido por Ricardo Batista com dificuldade, o segundo ao lado da baliza.

Sem facilitar, o Olhanense manteve a vantagem de dois golos até ao fim e garantiu, com justiça, a segunda vitória fora no campeonato.

Folha do Domingo/Lusa
Pub