Pub

Foto © Migaça Marques

A paróquia de Querença, que inclui a comunidade da Tôr, já tem, desde o passado domingo, novo pároco, nomeado no final do mês de setembro pelo bispo do Algarve.

O padre Carlos de Aquino passou a acumular com as paróquias de São Clemente e São Sebastião de Loulé, de que é pároco desde 2015. Para a paróquia de Querença e também para as de Loulé, D. Manuel Quintas nomeou ainda como vigário paroquial o padre Vasco Figueirinha que fazia parte, desde 2017, da equipa formadora do Seminário de São José, em Faro, como prefeito.

Foto © Migaça Marques

No domingo de manhã, na eucaristia na igreja de Querença, onde decorreu a tomada de posse do novo prior, o bispo do Algarve lembrou que a mudança “permitiu continuar a servir as paróquias que, devido à saída da diocese da Fraternidade da Mãe de Deus, iam ficar sem pároco – São Bartolomeu de Messines e São Marcos da Serra – para onde vai o padre Carlos Matos que era pároco de Querença desde 2008.

Foto © Migaça Marques

“Depois de 12 anos, chegou o momento de ele manifestar a sua disposição e disponibilidade para servir a diocese de outra maneira e de outro modo. E eu agradeço muito a sua disponibilidade”, afirmou D. Manuel Quintas, lembrando que o padre Carlos Matos continuará como pároco de Alte (que inclui a comunidade de Benafim), mas deixa a paróquia do Ameixial, que também assumiu em 2008.

Foto © Migaça Marques

O bispo diocesano agradeceu igualmente a disponibilidade do padre Carlos de Aquino “logo no primeiro contacto para poder responsabilizar-se, juntamente com as paróquias que já tem em Loulé”. D. Manuel Quintas lembrou ainda que, para além do padre Vasco Figueirinha, que “assume este serviço em união com ele”, a missão naquela paróquia do barrocal algarvio incluirá também a colaboração da comunidade do Instituto das Irmãs de Santa Doroteia que também trabalha há muitos anos nas paróquias de Loulé.

Foto © Migaça Marques

O padre Aquino de Aquino agradeceu pelo acolhimento e lembrou o ministério de serviço dos últimos párocos daquela comunidade.

A tomada de posse do novo pároco decorreu no início da eucaristia com a leitura da provisão de nomeação, a profissão de fé com o juramento de fidelidade ao colégio presbiteral, ao bispo, ao papa e a toda a Igreja. Foi ainda feita a entrega simbólica da chave da igreja e a assinatura do auto de posse (ata).

com Migaça Marques

Pub