Inicio | Igreja | Pastoral Familiar da Diocese do Algarve apresentou enquadramento do Encontro Mundial de Famílias

Pastoral Familiar da Diocese do Algarve apresentou enquadramento do Encontro Mundial de Famílias

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Ontem à noite em Faro, na primeira catequese preparatória para o IX Encontro Mundial de Famílias que vai decorrer de 22 a 26 de agosto de 2018 em Dublin (Irlanda) com o papa Francisco, o cónego Carlos César Chantre, assistente do Sector da Pastoral Familiar da Diocese do Algarve, começou por fazer um enquadramento àquela iniciativa que terá como tema ‘O Evangelho da família, alegria para o mundo’.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

“O tecido cristão da Irlanda, que era fortíssimo até finais do século XX, neste momento está profundamente abalado por várias razões. E é precisamente em Dublin que vai ter lugar este encontro mundial sobre a família”, afirmou, considerando que “a família, sem se aperceber, deixou-se manipular para a autodestruição pelas correntes da filosofia moderna e da estatização social”. “Nunca houve tamanha ditadura do Estado sobre o cidadão”, considerou, explicando referir-se ao mundo ocidental.

Na catequese, promovida pelas paróquias constituintes da vigararia de Faro em colaboração com o Sector da Pastoral Familiar da Diocese do Algarve (SDPF), o sacerdote disse aos casais presentes que “o pai e a mãe têm pouca capacidade de manobra de intervenção” perante a “manipulação do jovem e da criança”. “Isto é gravíssimo porque os vossos filhos e netos é que vão enfrentar a gravidade desta questão. Preparem-nos para isso. Isso implica uma formação sólida na fé. É por isso que o papa está tão preocupado com a família, assim como com os jovens. E é por isso que vai haver este encontro de Dublin”, prosseguiu, explicando ter sido neste contexto que surgem estas catequeses preparatórias. “Estas catequeses são para nos estimularem a Dublin”, concluiu, considerando que “está em causa as futuras gerações cristãs, particularmente na Europa”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O assistente do SDPF explicou que todas as paróquias algarvias deveriam fazer este trabalho. “Será que estão a fazer? Eu não sei. Espero que estejam já mais adiantados do que nós”, disse, acrescentando: “O que é que diremos ao papa em agosto que estamos a fazer no Algarve para o acompanhar?”.

O sacerdote explicou ainda que o“objetivo imediato” destas catequeses para o encontro com o papa e também o da atual pastoral familiar na Diocese do Algarve é que estes grupos de famíliaspossam reunir-se no simpósio sobre a família já anunciado. “Já estamos ligeiramente atrasados na preparação do simpósio. Mas já estamos a pensar sobre o assunto. Queríamos que esse simpósio fosse uma coisa marcante para o Algarve”, afirmou, acrescentando que a iniciativa terá de “ser expressão das bases”.

O Encontro Mundial de Famílias deste ano será o primeiro depois das assembleias do Sínodo dos Bispos dedicadas às questões do matrimónio e da vida familiar.

Verifique também

Livro “Nós, os padres”, com participação de um sacerdote algarvio, foi apresentado no Algarve

Teve anteontem início no Algarve o périplo de apresentações do livro “Nós, os padres – …