Pub

Já quase a terminar esta primeira década do século XXI, verificamos que os cristãos continuam a ser perseguidos e a sofrer as maiores violências, em vários países do mundo, com particular incidência nos de preponderância islâmica, tanto da Ásia como da África e também em alguns países da América Latina.

Logo no início deste ano de 2010, o Santo Padre alertou para os vários pontos do mundo onde se verificam continuamente perseguições e violência devido à fé de cada um.

Recordou os casos de países do Médio Oriente: Paquistão, Iraque e outros.

Mas um dos relatórios da "Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS)" apresenta uma lista enorme de países onde os cristãos sofrem na pele consequências do ódio e da violência, citando concretamente: Arábia Saudita, China, Bolívia, Egipto, Índia, Eritreia, Argélia, Butão, Cuba, Nigéria e Venezuela.

Em todos estes países tem-se verificado, em vários graus, uma atitude fundamentalista a impedir a liberdade de expressão da fé cristã.

E é curioso e tristemente verificável também que, a par da violência e da intolerância dos fundamentalistas conta os cristãos, as autoridades permaneçam sempre mudas e numa apatia convincente e responsável. E de tal maneira as violências e as perseguições têm aumentado que é deveras significativo o número de refugiados e desalojados, oriundos de todos esses países!…

Dizem as estatísticas que já passa de um milhão!…

De facto, até há bem pouco tempo, o número de refugiados e desalojados, só dos países que mencionámos era o seguinte: 240.740 da Arábia Saudita; 302.000 da China; 97.500 do Egipto; 600.000 desalojados e 162.000 de refugiados da Índia; 2.035.025 do Paquistão; 5.042 de refugiados e 32.000 de desalojados da Eritreia; 94.137 da Argélia; 1.000.000 de desalojados e 900 de refugiados da Somália; 42.354 de refugiados e 2.778.305 de desalojados do Iraque; e 200.907 de refugiados da Venezuela.

Estes são os números oficiais da estatística que ficam aquém dos números reais.

É este cenário triste e horrível que persiste no mundo actual que, apesar de tantos e tão grandes avanços da ciência e da técnica, não conseguem resolver.

E a solução seria bem simples e fácil, se o egoísmo e o ódio fossem vencidos pelo Amor.

Pub