Pub

Há vários anos a esta parte que uma personagem da cena política internacional me tem vindo a intrigar. Quanto mais não seja, porque é um estereótipo de uma classe de pessoas que infelizmente começa, cada vez mais, a ter excessivo protagonismo nas nossas vidas, por vários motivos. Falo-vos de Silvio Berlusconi que, entre outras coisas no seu vasto currículo, é o actual Primeiro-Ministro italiano.

Berlusconi é apresentado como um defensor dos valores católicos e cristãos. Sobretudo em relação a temas como aborto, a eutanásia e células tronco, segue as orientações da Igreja Católica. E muito bem, dizemos nós! Porém, na sua vida privada, esse mesmo Senhor pratica tudo menos valores cristãos. Consta que terá mantido relações sexuais com uma jovem de 17 anos e que terá mentido à polícia, em relação a dados, sobre essa jovem. Consta que promoverá festas onde, além do consumo de drogas, pratica actos sexuais com várias mulheres! E que usará o seu avião oficial para transportar a droga que é consumida durante as suas festas privadas! E isso são tudo menos atitudes cristãs. Berlusconi é como aqueles pais que, ao darem a sopa aos seus filhos pequeninos, a apresentam como se fosse a melhor coisa do mundo, mas não comem a sopa com os filhos! Limitam-se a dá-la suavemente, colher a colher, afirmando constantemente: A Sopa é boa, é para tu cresceres! Ao que o filho pergunta: – mas o Pai não come Sopa? E o Pai responde: O pai não precisa de comer sopa, porque o Pai já é crescido!

É claro que o Pai pode convencer a criança nos primeiros tempos, mas depois o seu mau exemplo levará o filho a não comer a sopa. Assim é Berlusconi. Que credibilidade tem esse Senhor para falar de valores cristãos, quando não os pratica na sua vida particular?

Como Berlusconi, há muitos! Em Portugal e um pouco por toda a parte. Banqueiros, políticos, administradores, advogados, etc. Muitas vezes são até apelidados de homens de Igreja e defendem perante a opinião pública os valores cristãos. Porém, vivem esses valores em absoluta hipocrisia nas suas vidas pessoais. Gente que utiliza a Igreja para limpar a sua face e para lhes dar uma imunidade na opinião pública. Querem estar acima de qualquer suspeita! Esse tipo de pessoas são lobos com aparência de cordeiros, que muitas vezes por terem essa aparência bondosa têm a benevolência e a defesa da hierarquia eclesiástica, chegando até a ser, muitas vezes, apontados por estes como cristãos exemplares, só porque afirmam essa fé publicamente e fazem publicidade disso. Pura hipócrisia! Querem é limpar a sua face! Usam a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo para estarem acima de qualquer suspeita. Os verdadeiros e coerentes cristãos, mais do que fazer publicidade da sua Fé à procura de protagonismo eclesiástico e público, mostram-se cristãos dando razões da sua Fé Cristã, tendo atitudes cristãs em toda a sua vida, publica, profissional e privada. É cristão, não só quem o diz, mas sobretudo quem vive de forma cristã toda a sua vida!

Penso que pessoas que se afirmam como cristãos sem levarem uma vida cristã, só prejudicam a Igreja ao se afirmarem como defensores dos seus valores. O seu mau exemplo de cristãos leva a que outros se afastem dela, tomando, infelizmente, uma parte pelo todo. Por isso, prefiro um não cristão que leve uma vida com sinceridade e verdade, do que um mau cristão que só defende a Igreja quando lhe interessa. Usa a Igreja para lhe dar a credibilidade que não consegue ter com a sua vida particular.

Pub