Pub

Em declarações à Agência Lusa, o parlamentar considerou “essencial” que essa convergência abranja o PS, PSD e CDS e se alargue aos municípios da região, associações empresariais e sindicatos.

“As tarifas hoje praticadas nas SCUT são injustas e a tarifa praticada na Via do Infante [A22] penaliza quem a utiliza e está a empurrar as pessoas para a Estrada Nacional [EN] 125”, afirmou.

No quadro parlamentar, os deputados socialistas eleitos pelo Algarve, Miguel Freitas e João Soares, exigiram hoje ao Governo que apresente um balanço do tráfego registado na Via do Infante durante o primeiro mês de portagens, num requerimento entregue na Assembleia da República.

“O Governo tem que divulgar estes números”, considerou Miguel Freitas, sublinhando que “a ideia que se tem é que as pessoas deixaram de circular na Via do Infante e vieram para a EN125”.

No requerimento ao Ministério da Economia e Emprego, além de sublinhar a “acentuada redução de automóveis” em circulação na A22 desde 08 de dezembro e o consequente aumento de tráfego na EN125, os deputados questionam o ministro quanto ao plano e calendário de obras para aquela estrada nacional.

“Sobre as obras na EN125 Governo tem-se mantido silencioso e nós não conhecemos o novo plano de investimentos nem o calendário para a concretização dos trabalhos previstas”, justificou Miguel Freitas.

Segundo o deputado, o Governo tem duas alternativas: “ou mantém as isenções e descontos na A22 até que as obras na EN125 estejam concluídas, ou – se houver uma proposta para uma redução significativa de tarifas – vai por essa via”, disse.

Nas questões enviadas ao Governo, os deputados fazem uma pergunta sobre o eventual prolongamento do regime de isenções para residentes e empresas “enquanto não existir uma alternativa credível a esta estrada na região”.

Os parlamentares questionam também a tutela sobre a quantidade de pedidos de isenção e descontos, de forma a “fazer uma avaliação séria e responsável” da circulação nas duas estradas longitudinais algarvias.

Miguel Freitas criticou ainda a “ambiguidade” do discurso do PSD sobre a matéria: “Na campanha eleitoral defenderam a redução de tarifas, já ouvimos no final deste ano o presidente do PSD/Algarve [Luís Gomes] defender a suspensão temporária das portagens e ouvimos agora mais uma vez um deputado do PSD defender a redução da tarifa”.

Fonte parlamentar do PSD disse entretanto à Lusa que ainda não está em condições de responder ao desafio do deputado socialista, remetendo para mais tarde uma eventual reação.

Na passada semana, os deputados do PSD eleitos pelo Algarve anunciaram que vão propor ao Governo que estude a possibilidade de reduzir as taxas de portagem na A22, de forma a aumentar significativamente o tráfego e assim ampliar as receitas para o Estado.

Num requerimento a entregar ao Governo, os parlamentares algarvios sugerem que seja feito um estudo no sentido de aferir o impacto de uma diminuição das taxas de portagem na receita global devido ao previsível aumento do número de carros na Via do Infante.

Lusa
Pub