Pub

Num jogo disputado, o Portimonense mostrou-se aguerrido e agarrou-se à vantagem construída de grande penalidade, na segunda parte, enquanto o Beira-Mar procurou o domínio de jogo, mas perdeu-se na ineficácia ofensiva.

A equipa de Carlos Azenha, que conseguiu a sua primeira vitória de sempre com técnico principal, foi a primeira a criar perigo e esteve próximo de marcar logo aos sete minutos, quando Pedro Pessoa, na conversão de um livre direto, chutou à barra da baliza de Rui Rego.

Aos 35 minutos, foi a vez de Leandro Tatu perder a oportunidade de inaugurar o marcador, quanto, após cruzamento certeiro na direita de Rui Sampaio, rematou de cabeça por cima da baliza de Ventura.

Até final do primeiro tempo, a equipa de Portimão criou perigo sobretudo em lances de bola parada, enquanto no conjunto aveirenses Leandro Tatu e Rui Sampaio perderam os melhores lances de golo.

O encontro recomeçou com uma jogada perigosa dos visitantes, em que Pedro Silva, em posição privilegiada, esteve próximo de marcar (46 minutos).

Aos 63 minutos, Cosme Machado considerou falta do guardião Rui Rêgo na área e assinalou grande penalidade, que o defesa Ricardo Pessoa converteu para o Portimonense, abrindo as contas em Aveiro.

O Beira-Mar “carregou” no ataque, com Leonardo Jardim a fazer entrar o médio ofensivo Yartey e o avançado Wang Gang, numa fase do jogo em que o Portimonense se viu empurrado para a sua área.

Wilson Eduardo levou perigo à baliza de Ventura, aos 78 minutos, mas o guardião algarvio segurou o remate e, aos 81, foi a vez do chinês Wang Gang perder a hipótese de igualar o encontro, num lance em cima da linha de baliza.

No final do encontro, o médio líbio do Beira-Mar Djamal viu o cartão vermelho direto, por protestos.

Folha do Domingo/Lusa
Pub