Pub

Os vila-condenses puseram fim a um ciclo de seis jogos consecutivos a perder, e aumentaram para sete o número de pontos de vantagem sobre aos algarvios, que com esta derrota desceram ao último lugar da tabela classificativa.

João Tomás e Yazalde, já no segundo tempo, apontaram os golos do jogo, premiando a equipa que mais fez para vencer, e castigando as debilidades, a todos os níveis, dos forasteiros.

Os nortenhos entraram melhor no jogo, assumindo o controlo do desafio e criando as primeiras oportunidades de golo, por Bruno Gama e Tarantini.

Já a formação algarvia sentia dificuldades para explorar o contra-ataque, apesar da velocidade nos flancos emprestada por Candeias e Ivanildo, demonstrando poucos argumentos na finalização.

O Rio Ave manteve-se mais incisivo e, aos 20 minutos, desperdiçou a sua melhor oportunidade, por João Tomás, após primeiro remate de Braga.

Recuperado do susto, o Portimonense respondeu nos três lances seguintes, primeiro com um tiro de Candeias, que Paulo Santos desviou com grande defesa, e, depois, em iniciativas de Ivanildo e Pedro Silva.

Tal como no primeiro tempo, o Rio Ave voltou a entrar melhor no jogo após o descanso e, depois de um primeiro aviso de Bruno Gama, de livre, chegou ao golo, aos 54 minutos.

Boa desmarcação de João Tomás, após abertura de Bruno Gama, com o avançado vila-condense a assinar o 12.º golo da temporada.

Em desvantagem, os visitantes desconcentraram-se e, seis minutos depois, viram os locais ampliar para 2-0, com Yazalde, após cruzamento de Tiago Pinto, a fazer uma recarga preciosa, a um primeiro cabeceamento seu ao poste.

Esperava-se então que o Portimonense gizasse uma resposta para contrariar o ascendente dos locais, mas voltou a faltar argumentos aos algarvios, acabando por ser o Rio Ave a ficar mais perto do golo, com Bruno Gama a rematar ao poste, a seis minutos do fim.

Folha do Domingo/Lusa
Pub