Pub

O Papa Francisco convidou os católicos a celebrar Semana ‘Laudato Si’, de 16 a 24 de maio, e em Portugal diversas iniciativas de oração e reflexão vão online vão assinalar o 5.º aniversário desta encíclica ecológica e social.

“O grito da terra e o grito dos pobres não aguentam mais. Cuidemos da criação, dom do nosso bom Deus criador. Celebremos juntos a Semana Laudato Si’. Que Deus os abençoe e não se esqueçam de rezar por mim”, disse Francisco.

No vídeo divulgado pelo Vaticano, o Papa questiona o “tipo de mundo” que a sociedade quer “deixar para aqueles as crianças que estão crescendo” e, motivado por essa pergunta, convidou à participação na Semana Laudato Si, que começa este sábado.

Esta semana assinala o quinto aniversário da encíclica ecológica e social do Papa e destina-se a paróquias, comunidades religiosas, dioceses, escolas e outras instituições católicas, contando com o apoio do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, com o Movimento Católico Global pelo Clima e o Renova+.

A Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, organismo dos bispos católicos em Portugal, destaca numa nota enviada hoje à Agência ECCLESIA que a encíclica ‘Laudato Si’ é “uma inspiração” para o momento atual, projetando “um futuro mais justo e sustentável”.

A comissão esteve reunida em videoconferência esta quinta-feira, assinalando o quinto aniversário da encíclica do Papa Francisco sobre o cuidado com a casa comum, assinada em 24 de maio de 2015, que inspira uma semana de debate e ações ecológicas.

“Com o tema desta Semana – ‘Tudo está interligado’ – sentimo-nos unidos a todos os povos do mundo, pedindo ao Senhor a luz necessária para discernir os caminhos da ecologia humana integral, na procura do bem concretamente possível”, referem os responsáveis católicos.

Em Portugal, os Franciscanos vão divulgar o ‘Cântico das Criaturas’, que São Francisco de Assis escreveu há oitocentos anos, “a partir de nove versões portuguesas diferentes (duas são paráfrases), uma para cada dia”.

A Rede Cuidar da Casa Comum (CCC) destaca do seu programa uma tertúlia e uma vigília ecuménica de oração que vai promover online, entre “outras rubricas inspiradoras, para aprofundar a consciência e o compromisso no cuidado da casa comum e de todas as criaturas”.

A tertúlia, na próxima terça-feira, pelas 21h30, conta com as intervenções de João Miguel Almeida – ‘A origem da pandemia’ –; Teresa Bartolomei – ‘Da teologia da maldição a uma teologia do ecocídio’ – e Rita Veiga sobre ‘Voltar à “normalidade”?! Vejamos antes o que queremos’.

O encontro online, que pode ser acompanhado pelo Zoom, começa com “três curtas exposições” onde os oradores “não pretendem arrumar o assunto” mas partilhar pistas para “uma conversa em que se relacione o cuidado da casa comum com a situação fora dos eixos” que se vive.

Dois dias depois, 21 de maio (quinta-feira), a rede CCC, o Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC) e da Aliança Evangélica dinamizam uma Vigília ecuménica de oração intitulada ‘(Que) novos céus e nova terra?’, a partir das 21h30.

“Será um tempo simultaneamente dinâmico e de recolhimento, de partilha e fortemente comunitário, em que alternam momentos de inspiração diversa, como seja, oração, cânticos, textos bíblicos e poesia, reflexão, entre outros”, lê-se no sítio online da Rede Cuidar da Casa Comum, que “oportunamente” vai divulgar o link de acesso à Vigília ecuménica de oração.

A rede CCC é uma iniciativa que congrega instituições, organizações, obras, movimentos da Igreja Católica e de outras Igrejas Cristãs, bem como pessoas a título individual, e que ainda vai assinalar a Semana «Laudato Si» com intervenções em vídeo e textos que expressam “diversas sensibilidades a esta situação de exceção que a todos surpreendeu”.

O Papa Francisco publicou a sua encíclica ‘Laudato si’ que tem como temática central a ecologia integral, o nome e tema do documento assumem inspiração de São Francisco de Assis, a 18 de junho.

Ecclesia

Oração para o quinto aniversário da Laudato si’
Senhor Deus de amor,
Criador do céu e da terra e de tudo o que eles contêm,
Tu nos criaste à tua imagem
e nos tornaste administradores da tua criação,da nossa casa comum.
Tu nos abençoaste com o sol, a água e a terra
tão generosa que a todos alimenta.
Abre as nossas mentes e toca os nossos corações,
para que saibamos darmo-nos conta do dom da tua criação.
Ajuda-nos a sermos conscientes
de que a nossa casa comum não nos pertence só a nós
mas a todas as gerações futuras,
e que é responsabilidade nossa preservá-la.
Faz que possamos ajudar cada pessoa a ter
o alimento e os recursos de que precisa.
Faz-te presente para os necessitados nestes tempos difíceis,
especialmente para os mais pobres e vulneráveis.
Transforma em esperança o nosso medo,
a nossa ansiedade e os sentimentos de solidão,
para podermos experimentar uma verdadeira conversão do coração.
Ajuda-nos a mostrar a nossa solidariedade criativa
no afrontar as consequências desta pandemia.
Torna-nos corajosos para abraçar as mudanças na procura do bem comum.
Agora, mais que nunca, possamos sentir
que estamos todos unidos e interdependentes.
Faz de modo a que possamos ouvir e responder
ao grito da terra e ao grito dos pobres.
Que os sofrimentos atuais possam ser
as dores do parto de um mundo mais fraterno e sustentável.
Sob o olhar terno de Maria Auxiliadora, isto te pedimos
por Cristo, nosso Senhor.
Amen.
Pub