Pub

A audição presidente da ARS/Algarve, requerida pelo Bloco de Esquerda (BE), foi aprovada por unanimidade na comissão da saúde, que decorreu no parlamento na quarta-feira, e deverá ser agendada a partir do dia 08 de maio, informou BE numa nota enviada à Lusa.

O diploma que cria o CHA, por proposta da ARS/Algarve, foi aprovado em Conselho de Ministros de 17 de abril, e prevê a fusão do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio (que integra os hospitais de Lagos e Portimão) e do Hospital de Faro.

No requerimento que apresentaram na quarta-feira, os deputados do bloco da comissão consideram "essencial a audição" do presidente do conselho diretivo da ARS/Algarve, entidade que apresentou a proposta de criação do CHA, "no sentido de se poder conhecer e debater o projeto de reorganização hospitalar em curso no Algarve".

Para os deputados do BE, que a criação do Centro Hospitalar do Algarve "irá causar profundas alterações nos serviços de saúde (…) que devem ser conhecidas e discutidas na Assembleia da República".

O Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio tem como prestadores associados os hospitais de Portimão (nível de urgência médico-cirúrgica) e de Lagos (urgência básica) enquanto o Hospital de Faro tem nível de urgência polivalente.

O BE recorda na mesma nota que, "há pouco tempo, a informação disponível apontava no sentido da intenção de criar uma ou mais unidades locais de saúde (ULS) no Algarve, nas quais seriam integrados os hospitais e centros de saúde/Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES)".

"A criação do CHA contrasta profundamente com o modelo que estava preconizado e que se confirma agora ter sido abandonado, mas sem que se conheçam cabalmente os motivos subjacentes a tal decisão", sustenta o BE.

Lusa

Pub