Pub

Desiderio_silvaO presidente do Turismo do Algarve e vice presidente da Associação de Turismo do Algarve classificou o mercado russo como sendo “fundamental”, sublinhando que a região “só tem a ganhar” com a presença de turistas daquele país.

Desidério Silva falava à margem do I congresso geral da Natalie Tours, operador turístico russo em Portugal, que decorre até terça-feira num hotel de Vilamoura.

Em 2013, o país foi visitado por cerca de 170 mil turistas russos, que dormiram em Portugal 600 mil noites, distribuídos em 70% pela região de Lisboa e em 15%, respetivamente, pela Madeira e pelo Algarve.

O presidente do Turismo de Portugal estimou que a partir de maio a emissão de vistos turísticos a cidadãos russos possa demorar entre dois a três dias, ao abrigo de um protocolo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“A partir de maio haverá mais gente [nos serviços consulares], mais equipamentos e mais disponibilidade para despachar vistos”, afirmou João Cotrim Figueiredo à Lusa.

Segundo aquele responsável, os serviços consulares portugueses não estão preparados para emitir vistos com a celeridade que os turistas precisam – sobretudo se marcarem férias de última hora -, o que atualmente pode demorar até duas ou três semanas.

“Temos perdido alguns turistas [pela demora na emissão dos vistos] e alguns casos nem sequer chegam ao conhecimento dos serviços consulares, porque o próprio operador do país diz aos clientes para desistirem”, afirmou.

Embora não conseguisse precisar os números, João Cotrim Figueiredo lembrou que o turista russo tem um gasto médio diário “superior à média” dos turistas que visitam Portugal.

com Lusa

Pub