Pub

O presidente do Turismo do Algarve, Desidério Silva, considerou hoje que a morte do presidente da Câmara de Albufeira, Carlos Silva e Sousa, hoje, aos 60 anos, é “uma profunda perda” para quem trabalhou com o autarca.

Desidério Silva, que antes de presidir ao Turismo do Algarve foi também presidente da Câmara de Albufeira eleito pelo PSD, tendo sido sucedido no cargo por Carlos Silva e Sousa, manifestou o seu pesar pelo falecimento “prematuro” do autarca, cujo funeral vai realizar-se no sábado, pelas 14:00, segundo o anúncio feito pela Câmara algarvia.

O município adiantou que o corpo do autarca estará em câmara ardente na igreja de Sant’Ana, em Albufeira, “a partir do final da tarde de hoje” e “amanhã [sábado], o cortejo fúnebre sairá às 14:00 da referida Igreja em direção à igreja matriz de Albufeira, onde às 14h30 terá início a missa” para as exéquias fúnebres.

“O Exmo. Senhor Presidente, Carlos Eduardo da Silva e Sousa, será sepultado no Cemitério de Vale Pedras, em Albufeira”, acrescentou a autarquia num comunicado, depois de já ter anunciado previamente três dias de luto municipal em memória do autarca, que morreu vítima de morte súbita.

O presidente do Turismo do Algarve expressou num comunicado a “tristeza redobrada” e “o mais profundo pesar pela morte de Carlos Silva e Sousa”, recordando que o autarca, “casado e pai de dois filhos”, tinha 60 anos, foi eleito em outubro passado para um segundo mandato à frente da autarquia de Albufeira e teve “uma trajetória exemplar de dinamismo público e cultura democrática”.

“Carlos Silva e Sousa mostrou sempre uma forte dedicação à região algarvia, enquanto presidente da Assembleia Municipal de Albufeira durante três mandatos consecutivos, enquanto membro na Assembleia intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Algarve e ainda quando foi presidente da Confraria dos Enófilos e Gastrónomos do Algarve”, frisou Desidério Silva.

Por isso, o presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA) disse que Carlos Silva e Sousa era “um parceiro e amigo do executivo da entidade de turismo” regional e o seu desaparecimento “constitui uma profunda perda para todos os que tiveram o privilégio de lidar pessoalmente com o autarca, para Albufeira e para todo o Algarve”.

“Hoje perdemos um homem com grande sentido de ética e integridade, simpatia e generosidade”, lamentou Desidério Silva, que manifestou os seus “mais sentidos pêsames à família enlutada”.

O presidente do Turismo do Algarve junta-se assim ao PSD/Algarve, que hoje também lamentou a morte do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, considerando que o autarca “partiu muito novo” e “ainda tinha tanto para dar à causa pública”.

Militante do PSD há mais de três décadas, a sua ação política foi sobretudo visível no concelho de Albufeira, distrito de Faro, onde, ao nível autárquico, ocupou os “mais relevantes lugares”, refere a estrutura regional do partido.

No plano autárquico, Carlos Silva e Sousa começou como vereador, na década de 1990, tendo depois sido presidente da Assembleia Municipal, por três mandatos consecutivos, entre 2001 a 2013, a que se seguiu a presidência da Câmara, cargo que ocupava desde 2013.

Pub