Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Dezanove dos 34 professores até agora colocados para lecionar a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) no Algarve neste ano letivo de 2015/2016 realizaram no passado sábado o compromisso de fidelidade à sua missão, sendo depois enviados com uma bênção pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Os docentes comprometeram-se a “servir a Igreja Católica presente na escola, a fim de propor e proporcionar aos alunos a visão cristã do mundo, do homem e de Deus”, a responsabilizar-se pelo “empenho” e pelo “progresso” da sua própria qualificação, pelo “aperfeiçoamento” do seu ensino, pela “coerência” do seu testemunho cristão e da sua “fidelidade” à Igreja e a “dar testemunho de uma vida coerente e comprometida eclesialmente, dispostos a assumir as orientações diocesanas e nacionais neste domínio do ensino religioso escolar”.

“A Diocese do Algarve conta convosco e com a forma original do vosso ministério da palavra para depositar na mente dos alunos o fermento dinâmico do evangelho e assim atingir realmente os outros elementos do saber e da educação até que a harmonização da sua cultura se faça à luz da fé”, disse aos professores o bispo do Algarve na eucaristia a que presidiu no Seminário de Faro.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Já no encontro participado por 24 professores que precedera a celebração, D. Manuel Quintas dirigiu aos docentes uma palavra de “estímulo e encorajamento” e pediu aos docentes que exerçam o seu serviço tendo presente o Programa Pastoral da diocese algarvia, incluindo a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima e o Ano Santo da Misericórdia. “É importante terdes em mente e terdes presente nas iniciativas que ireis realizar aquilo que é o caminho da Igreja diocesana ao longo deste ano”, advertiu.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O prelado pediu ainda aos professores uma “atenção particular” caso as escolas sejam confrontadas com a vinda de refugiados, sobretudo, no que diz respeito à sua integração. “Que sejam acolhidos e integrados”, apelou no encontro que contou também com a presença do padre António da Rocha, assistente do Secretariado da Pastoral Escolar da Diocese do Algarve.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Edite Azinheira, diretora do Secretariado Diocesano da Pastoral Escolar (SDPE), congratulou-se pelo presente ano letivo ter começado melhor que o último, relativamente à colocação dos professores. No entanto, denunciou existirem escolas algarvias que não lançaram o horário de EMRC a concurso, informou existirem escolas em Albufeira, Silves e Tavira ainda sem docentes e lamentou que as escolas de Alcoutim, Alvor, Martim Longo, Castro Marim, D. Dinis de Quarteira, Estômbar, Parchal, Júdice Fialho, Nuno Mergulhão e Bemposta de Portimão não tenham aulas de EMRC. Nalguns casos, as escolas informaram que não há qualquer aluno inscrito, noutros que não têm, do 5º ao 9º ano de escolaridade, 10 alunos inscritos na disciplina, o número mínimo exigido para a constituição de uma turma.

Aquela responsável explicou que falta ainda colocar três docentes e que dos 34 já colocados, três vieram de fora da diocese, embora dois deles já seja o segundo ano no Algarve.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Dimas Pedrinho, membro do Secretariado Nacional da Educação Cristã que está destacado para apoio às dioceses do sul, exortou à partilha, entre os docentes, de planificações, materiais, ideias, atividades, estratégias, e soluções para problemas comuns e apelou à participação no encontro de formação para as dioceses de Algarve, Beja, Évora e Setúbal do próximo dia 7 de novembro, em Setúbal, sobre os novos manuais da disciplina.

Luís Perpétuo Martins, membro também do SDPE, explicou ao Folha do Domingo que o objetivo daquele encontro é “colocar aqueles que vão aplicar os manuais em diálogo com os autores dos mesmos”, para além de a iniciativa permitir “juntar dioceses com realidades próximas para que os professores pensem, se encontrem e trabalhem em conjunto”.

Aquele responsável apelou ainda à participação na campanha realizada pela Cáritas “Dez Milhões de Estrelas – Um gesto pela paz” (mês de dezembro), na Semana Nacional de EMRC (14 a 18 de março), no Dia de EMRC no Algarve (17 de março), no Encontro Nacional de Alunos de EMRC do Ensino Secundário (8 e 9 de abril), nas reuniões de zona de professores de EMRC no Algarve em Portimão, Vila Real de Santo António e Faro e no próximo encontro de professores de EMRC do Algarve (4 de junho).

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Na eucaristia depois do encontro foi homenageada a irmã Isilda Soares, da congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, que se aposentou este ano após 28 anos como professora de EMRC em escolas do concelho de Faro. “Foi com muito gosto que exerci a profissão de professora”, afirmou emocionada, lembrando o trabalho realizado durante quase três décadas. Aquela antiga docente, que colabora há vários anos na pastoral prisional, disponibilizou-se para ir às escolas testemunhar esse trabalho como forma de prevenção.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

No Algarve, do 5º ao 12º ano de escolaridade, segundo informação do SDPE, os estudantes inscritos na disciplina de EMRC são 21% do total dos alunos que frequentam as escolas algarvias.

No passado ano letivo de 2014/2015, dos 31.579 alunos do 5º ao 12º ano de escolaridade das escolas algarvias, 6.782 frequentaram a disciplina de EMRC.

No ano letivo de 2013/2014, o Algarve contou com 47 professores a lecionar a disciplina de EMRC e em 2014/2015 o número de docentes foi de 39.

Pub