Pub

Cheias_faro_maio_2016 (24)O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro respondeu ontem à tarde a 35 ocorrências relacionadas com a chuva que caiu sobre a capital algarvia, alagando ruas, lojas e casas, sobretudo na baixa da cidade.

Em declarações à Lusa, o segundo comandante distrital, Abel Gomes, referiu que, apesar de o número de ocorrências não ter sido muito elevado, os pedidos de alerta chegaram todos “em simultâneo”, entre as 13:30 e as 14:40, hora em que a chuva caiu com maior intensidade.

De acordo com o responsável, a situação agravou-se pelo facto de a chuvada ter coincidido com o período de preia-mar (ponto mais alto da maré), o que dificultou o escoamento de água, causando inundações em vários pontos do concelho, mas sobretudo no centro de Faro.

Apesar da intensidade da chuva, não houve desalojados ou vítimas a registar, acrescentou, adiantando que houve uma pequena derrocada numa casa, que depois se verificou servir apenas como armazém e não para habitação.

A chuva provocou ainda o condicionamento do trânsito e interrupções no fornecimento de eletricidade, desativando alguns semáforos.

O presidente da autarquia, Rogério Bacalhau, referiu, por seu turno, que, apesar de a situação ter sido controlada, os pontos mais críticos foram o Largo de São Francisco, a Avenida da República e a Rua de São Luís, onde foram registados alagamentos com alguma dimensão.

No resto do Algarve, apesar de também ter chovido, a situação não foi preocupante, segundo o CDOS.

Pub