Pub

Em comunicado, os socialistas dizem que o processo foi feito à revelia da Assembleia Municipal e reclamam que a decisão devia ter sido mais participada e objecto de consenso entre os partidos representados naquele órgão municipal.

Para o PS, a criação da Força Operacional Conjunta dos Bombeiros de Faro (FOCON), que resulta da fusão das duas corporações existentes, representa a "destruição de um serviço municipal altamente qualificado".

O processo tem sido polémico e criticado pela Associação e Sindicato Nacionais de Bombeiros Profissionais (ANBP e SNBP), que se queixam de agora a corporação municipal passar a ser chefiada pelo antigo dirigente dos Bombeiros Voluntários.

Os socialistas dizem ainda que o "mal-estar criado entre o efectivo municipal" constitui um "foco de instabilidade" que pode ter consequências negativas "ao nível da operacionalidade e da prontidão do socorro".

Pub