Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O PS de Faro criticou ontem o Governo de coligação PSD/CDS-PP por ter “duramente prejudicado” os farenses com a decisão “injusta e errada” de parar as obras da variante norte à cidade, integrada na requalificação da Estrada Nacional 125.

O Partido Socialista congratulou-se com a reabertura à circulação da estrada entre a Penha e a rotunda da Conceição de Faro, que esteve encerrada enquanto decorreram as obras da variante norte, mas criticou os “quatro anos de atraso” na requalificação da Estrada Nacional 125, da qual a variante fazia parte, motivados pela decisão do Governo de parar os trabalhos em 2009 para renegociar o contrato.

“Os socialistas farenses saúdam naturalmente a reabertura da estrada da Penha mas recordam e lamentam que o PSD e o CDS/PP tenham durante quatro anos preferido prejudicar Faro e o Algarve parando a Variante Norte a Faro, uma obra rodoviária fundamental e que estava praticamente concluída, para agora, em vésperas de eleições, poderem vir cortar a fita e lançar os foguetes como se os algarvios e os farenses não tivessem boa memória”, criticou o PS num comunicado.

A concelhia de Faro do PS recordou que as obras de requalificação da EN 125 foram lançadas em setembro de 2009, com os socialistas no Governo e na autarquia de Faro, e “numa altura em que faltavam pouco menos de quatro a cinco meses de trabalhos para a conclusão da variante norte” à cidade.

As críticas do PS sobre o atraso na requalificação surgem depois de a Câmara de Faro (PSD/CDS-PP/MPT) ter anunciado na quarta-feira que ia reabrir, no dia seguinte, um troço da Estrada da Penha encerrado há quatro anos devido às obras de construção da variante norte.

O presidente da autarquia, Rogério Bacalhau, disse na ocasião à Lusa que a reabertura do troço entre a rotunda da Conceição de Faro e a Penha vai desbloquear os acessos à cidade, diminuindo o volume de trânsito para quem entra e sai da capital algarvia, que, assim, recupera um dos seus acessos privilegiados para quem vive na zona a norte de Faro, nomeadamente, Estói e São Brás de Alportel.

A Câmara anunciou também que iria interromper, a partir de sexta-feira, o trânsito numa outra estrada municipal, conhecida como Estrada da Caldeira do Neto, para que se proceda à execução da rotunda junto à pista de atletismo, também no âmbito das obras da Variante Norte.

O autarca reiterou que a abertura ao trânsito da variante Norte a Faro, que esteve parada durante três anos e que foi retomada em agosto passado, está prevista para o início do verão e vai permitir retirar do centro de Faro uma média de 20 mil carros por dia, reduzir filas de trânsito e engarrafamentos.

A construção da Variante Norte a Faro arrancou em 2009 com um orçamento de 17 milhões de euros, mas foi suspensa em 2011, assim como toda a empreitada de requalificação da EN 125, por dificuldades financeiras do consórcio construtor.

Pub