Pub

Miguel Freitas falava em conferência de imprensa, após se terem registado incidentes com manifestantes anti-Governo no final do comício do PS em Faro.

“Registaram-se acontecimentos reprováveis durante o comício do PS. Houve uma dezena de pessoas que se manifestaram e, mais do que isso, interferiram no comício do PS com provocações e insultos”, acusou o deputado socialista.

Na perspetiva de Miguel Freitas, o PS “reprova este comportamento, porque não é adequado ao combate democrático”.

“A culpa foi de quem fez uma provocação e um insulto ao PS, que se reuniu democraticamente num comício com mais de mil pessoas. Mas um conjunto de cidadãos, que estão identificados com um movimento na região – e que fizeram um apelo ao voto em alguns partidos -, teve um comportamento reprovável”, disse Miguel Freitas.

Miguel Freitas recusou-se depois a esclarecer a que partido esses manifestantes apelaram ao voto, mas militantes socialistas disseram aos jornalistas que alguns desses manifestantes estavam a apoiar o PSD.

Em relação aos movimentos envolvidos nos protestos, o líder do PS/Faro apontou um deles: o que protesta contra a cobrança de portagens na Via do Infante, a A22.

Miguel Freitas considerou no entanto que a questão do apelo ao voto dos partidos, ou a questão das ligações dos manifestantes a movimentos, “não é a parte essencial do que se passou”.

O líder do PS/Faro sustentou ainda que os manifestantes não respeitaram a lei, porque se encontravam a bem menos do que 150 metros do local onde se realizou o comício do PS.

Lusa

Pub