Pub

O Partido Socialista (PS) questionou o Governo sobre o encerramento do armazém de carga do Aeroporto de Faro, decidido em 01 de junho pela operadora Portway, considerando que a medida prejudica os cidadãos e as empresas do Algarve.

Em requerimento apresentado no dia 07 de julho na Assembleia da República, dirigido ao ministro das Infraestruturas e da Habitação e hoje divulgado, os deputados socialistas eleitos pelo círculo de Faro afirmam que o encerramento do armazém de carga “apanhou de surpresa e deixa sem qualquer alternativa as empresas exportadoras e importadoras, assim como os cidadãos que necessitam de recorrer ao transporte aéreo de mercadorias”.

“Esta decisão deixa o Algarve, região do ponto de vista geográfico já de si periférica, ainda mais isolada, com impactos graves na sua economia, já muito debilitada por razão dos efeitos da atual pandemia de covid-19, no setor do turismo, das viagens e do lazer”, sustentam os deputados Luís Graça, Joaquina Matos, Ana Passos, Francisco Oliveira e Célia Paz.

Segundo os parlamentares, as empresas exportadoras relataram que, “apesar das várias tentativas efetuadas, nunca conseguiram obter qualquer resposta da administração da Portway – Handling de Portugal, S.A. ou da ANA – Aeroportos de Portugal -, designadamente da direção do Aeroporto Internacional de Faro”.

Os deputados do PS recordam que, além da exportação, o encerramento do armazém de carga “deixa também sem resposta situações, entre outras, como a receção de um medicamento urgente, restos mortais para cerimónia fúnebre, animais vivos ou uma mala perdida que tem de ser devolvida à procedência”.

Os parlamentares consideram a situação “inaceitável”, tanto mais que a Portway, “empresa que explorava o armazém de carga, pertence ao universo empresarial do grupo Vinci Airports que detém a ANA”, empresa que explora o Aeroporto Internacional de Faro”.

Na pergunta dirigida ao ministro Pedro Nuno Santos, os eleitos socialistas pelo círculo eleitoral de Faro reforçam que “não é aceitável que não tenha existido diálogo prévio entre as administrações das duas empresas do mesmo grupo empresarial, que evitassem os graves prejuízos de deixar toda a região do Algarve sem a possibilidade de importar e exportar carga por via aérea”.

Os deputados querem que o Governo, liderado pelo socialista António Costa, esclareça se o ministério tutelado por Pedro Nuno Santos tem “conhecimento de que o armazém de carga do Aeroporto Internacional de Faro está encerrado desde 01 de junho, deixando as empresas de importação e exportação sem alternativa viável”.

Os parlamentares querem também saber se o Governo considera que “a região do Algarve e as empresas exportadoras e importadoras de base regional podem ficar privadas do transporte dos seus produtos e mercadorias por via aérea desde Faro”.

No documento, pedem ainda ao executivo para explicar que “medidas tenciona tomar” de forma a que a ANA “garanta no mais curto espaço de tempo a reabertura do armazém de carga e o transporte de carga por via aérea a partir” deste aeroporto.

Pub