Pub

Em entrevista à Lusa e à margem do novo ano político de 2010 que o PS/Algarve tem para a região, Miguel Freitas defendeu que "o Governo e o PS devem ser o elemento estabilizador do sistema político a nível nacional. Sempre assim foi, nos momentos mais difíceis do país. Esta é a nossa responsabilidade".

"A responsabilidade primeira da governabilidade é do governo. O PS ganhou as eleições de forma clara, ganhou para Governar quatro anos e, portanto, tem que fazer um esforço no sentido de encontrar as boas soluções para o país num quadro de dificuldades que sabemos que existem, quer do ponto vista económico, orçamental e político".

Caso a legislatura actual não prossiga vem a "crise política, com riscos e custos enormes de implosão do sistema partidário, fragilização dos partidos, aumento da desconfiança dos agentes económicos e a descredibilização do Estado e empobrecimento e eclosão de fenómenos de radicalismo", alertou o deputado socialista algarvio.

Em 2010, o PS/Algarve vai ter dois actos eleitorais. Em Abril para as Concelhias e em finais do ano para a Federação do PS.

O PS/Algarve organizou hoje um jantar no hotel Faro para assinalar o ano político de 2010, durante o qual Miguel Freitas abordou as principais questões que marcam a agenda do partido para a região.

Pub