Pub

"No último Conselho de Ministros, o Governo aprovou um plano de formação e emprego para o Turismo, que vai arrancar este mês. Nós consideramos, a par disso, que é muito importante que para além de um plano sectorial, haja um plano regional de formação e emprego", defendeu Miguel Freitas numa entrevista dada hoje à Lusa, a propósito do novo ano político de 2010.

O deputado da Assembleia Municipal defendeu também o "reforço dos apoios às Pequenas e Médias Empresas (PME)" e pediu urgência na execução de programas como o QREN (Quadro de Referência Estratégica Nacional), PRODER (Desenvolvimento Rural) e PROMAR (Programa Operacional Pesca 2007-2013).

"Os atrasos nos apoios ao investimento estão num momento em que começam a ser intoleráveis. É preciso avançar", observou o socialista algarvio.

A questão do investimento público é outra batalha que Miguel Freitas pretende ganhar para o Algarve e que diz ser "essencial" avançar em 2010.
"Este é o ano em que se tem de avançar com a obra do Hospital Central do Algarve, da Estrada Nacional 125, a ampliação do Aeroporto de Faro e o programa Polis "Ria Formosa" e o da "Costa Vicentina", reconheceu o presidente do PS/Algarve e deputado no Parlamento.

O PS/Algarve defende que 2010 é a "década do Algarve saudável, do novo Hospital e da afirmação do Curso de Medicina. A década do Algarve seguro. A década da regionalização. A década do salto tecnológico nas empresas".

"Temos de ter um plano tecnológico para a região no domínio do agro-alimentar, do cluster do mar, biotecnologia e industria farmacêutica, mas também temos de ser capazes de fazer um choque tecnológico nas actividades tradicionais ligadas à terra e ao mar, porque têm futuro", defendeu, reconhecendo que só através dos choques tecnológicos é que o Algarve para atrair mais investimentos e valorizar o que tem.

Para Miguel Freitas, o Algarve "perdeu peso institucional" ao nível da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), Entidade Regional do Turismo e Comunidade Intermunicipal e, por essa razão, alega que é preciso "reforçar as competências" daquelas estruturas e tornar os projectos "mais pró-activos".

"Há um definhamento crescente da administração desconcentrada do Estado, uma tentativa para reduzir drasticamente a autonomia da Entidade Regional de Turismo do Algarve, uma não assumida Agência Regional e uma esgotada Associação de Municípios", afirmou.

O PS/Algarve organizou hoje um jantar no Hotel Faro para assinalar o ano político de 2010, onde o presidente Miguel Freitas abordou as principais questões que marcam a agenda do Partido para a região.

Pub