Pub

“O PSD/Olhão considera lamentável que a câmara municipal esteja a usurpar o mérito de outros no recente reconhecimento dos Mercados de Olhão a Monumento de Interesse Público”, referiu o principal partido da oposição na câmara algarvia num comunicado.

O PSD lamentou que, apesar de ter sido a Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão (APOS) a apresentar a candidatura para classificação do Mercado Municipal como Monumento de Interesse Público, a autarquia “não tenha tardado” em “tentar retirar algum aproveitamento político do acontecimento”.

Os sociais-democratas de Olhão dizem que, assim que foi publicada em Diário da República a classificação dos imóveis do mercado municipal, o vice-presidente e vereador da Cultura da câmara, António Pina, “assumiu o protagonismo” perante a comunicação social, “fazendo em momento algum alusão à APOS, a quem por direito pertenceria todo o mérito”.

O PSD/Olhão veio assim “denunciar a atitude incorreta da autarquia e, em nome de todos os olhanenses, prestar as devidas felicitações à APOS por mais este importante reconhecimento para o concelho”.

O partido frisou ainda que, “desde 2006, a associação muito tem contribuído na promoção do património histórico e cultural e na defesa dos ícones arquitetónicos da cidade de Olhão”.

As críticas do PSD surgem depois de, a 22 de outubro, a Câmara de Olhão ter considerado que a classificação do mercado municipal como Monumento de Interesse Público (MIP) era um “prémio” dado à cidade e reconhecia a “importância arquitetónica e histórica” do imóvel.

O anúncio do projeto de decisão para classificar o mercado municipal como Monumento de Interesse Público foi feito no Diário da República de 11 de outubro e previa um período de consulta pública de 30 dias, nos quais os interessados poderiam pronunciar-se sobre o projeto e a Zona Especial de Proteção criada em redor dos edifícios.

“Isto é o reconhecimento da importância arquitetónica e histórica de um dos ícones da cidade que são os mercados. Em bom tempo a autarquia resolveu transformar e melhorar os mercados, tendo sido um dos primeiros grandes investimentos que fizemos na cidade, e este é o reconhecimento dessa nossa estratégia e desse objetivo”, afirmou nessa altura o vice-presidente da Câmara de Olhão, António Pina.

Lusa

Pub