Pub

"Vimos por este meio manifestar o nosso vivo repúdio às declarações de Miguel Freitas (líder do PS), que utilizou o despedimento dos trabalhadores da Groundforce para fazer baixa política e retirar dividendos políticos contra o PSD", lamentou a concelhia social democrata de Faro.

O PSD considerou que o dirigente socialista "comparou a situação dos trabalhadores da Groundforce (trabalhadores do quadro, alguns com mais de trinta anos de ligação à TAP) à da Câmara Municipal de Faro (trabalhadores cujos contratos terminaram, por imposição legal), numa falsa analogia, de mau gosto, irresponsável e despropositada, própria de quem não olha a meios para atingir os seus fins".

Os sociais democratas acusaram ainda Freitas de "fazer uso do drama de 336 pessoas para fins meramente político–partidários", atitude que disse ser "própria de quem não tem carácter político para representar o Algarve e os algarvios e apenas se preocupa em representar a si próprio e os seus interesses".

A Câmara Municipal de Faro é presidida pelo social democrata Macário Correia, que nas últimas eleições autárquicas derrotou a lista do PS liderada pelo então presidente da autarquia José Apolinário, à frente de uma coligação entre o PSD, CDS-PP, MPT e PPM.

Lusa

Pub