Pub

A prorrogação do prazo de vigência e o alargamento das condições de participação do programa Formação-Algarve motivou uma interpelação ao Governo, subscrita por todos os deputados do PSD e do CDS-PP eleitos pelo Algarve.

"O que se pretende é não ficar de baixos cruzados perante o flagelo do desemprego, que é particularmente preocupante no Algarve", disse hoje à agência Lusa o deputado social-democrata.

O programa Formação-Algarve, criado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e pela Associação Empresarial da Região do Algarve, visa a concessão de apoio financeiro às entidades empregadoras que renovem ou convertam contratos de trabalho a termo e proporcionem formação profissional aos trabalhadores.

Atualmente, a medida destina-se aos setores da hotelaria, restauração, turismo, bem-estar e lazer, comércio e construção civil.

"É preciso estender o âmbito de incidência a outros setores de atividade, de forma a contribuir para o aumento do tecido económico e social da região que regista a taxa mais alta de desemprego do país", defendeu Cristóvão Norte.

"O programa está bem concebido, é um instrumento relevante e de todo o interesse que seja aperfeiçoado e prorrogado o seu prazo de vigência", sublinhou.

De acordo com os dados fornecidos pelo IEFP, o programa registou a adesão de cerca de 300 trabalhadores dos vários setores económicos do Algarve.

Cristóvão Norte considerou que os resultados "não foram tão auspiciosos como se previa, devido ao facto da portaria ter ocorrido em momento posterior às decisões de gestão dos recursos humanos das empresas e pela imposição da condição de caducidade dos contratos a termo até 31 de outubro".

"Pretendemos saber se o Ministério da Economia tenciona prorrogar a medida para os anos 2013 e 2014, bem como alargar as condições de participação", concluiu.

Lusa

Pub