Pub

O presidente da Distrital algarvia do partido, Luís Gomes, afirmou que o PSD/Algarve quer “aproveitar a reorganização das maternidades que está a ser feita nas áreas metropolitanas, designadamente na grande Lisboa, para que se promova um maior equilíbrio na distribuição de médicos obstetras” pelo país.

"Queremos que se aproveite esta reorganização para dotar as zonas mais periféricas, como o Algarve, de mais meios humanos. A maternidade do Hospital de Faro é a quarta hospitalar do país com maior número de partos e só tem nos seus quadros 21 técnicos obstetras, dos quais sete têm entre 50 e 55 anos e estão dispensados do serviço noturno", criticou.

A falta de clínicos tem criado, segundo o dirigente do PSD/Algarve, "dificuldades agudas na operacionalização do serviço" e tem sido colmatada com recurso a "contratações externas, pagas com valores incomportáveis para o Serviço Nacional de Saúde ou com pagamento excessivo de horas extraordinárias".

Luís Gomes considerou, por isso, que é necessário haver uma maior descentralização de clínicos para que "todas as regiões do país possam ter acesso aos serviços de saúde".

Liliana Lourencinho com Lusa

Pub