Pub

Em comunicado, o PS refere que “Faro não é o faroeste” e “dois Tribunais Superiores confirmaram as sentenças e a pena decretada ao eng. Macário Correia por violações repetidas, sistemáticas e deliberadas às normas de planeamento e ordenamento do território e às leis ambientais”.

“O eng. Macário Correia colocou-se hoje [sexta-feira] fora da Lei e contra os tribunais. Conhecida a decisão do Tribunal Constitucional, o Partido Socialista repete hoje o que disse há seis meses no início deste triste folhetim: ‘o PSD e o CDS-PP devem sem subterfúgio dizer se o eng. Macário Correia, por ser do partido do Governo, está acima da Lei e acima dos Tribunais’”, questionou o PS.

Os socialistas de Faro lamentaram que Macário Correia tenha optado por “recorrer a todos os expedientes para adiar o que já está decidido e sentenciado pelos tribunais”.

Macário Correia (PSD) escusou-se a revelar se vai recandidatar-se à Câmara de Faro, mas frisou que perante a lei o facto de ter sido condenado à perda de mandato não o impede de se recandidatar ao cargo.

Numa conferência de imprensa, o presidente da Câmara de Faro anunciou que pediu a aclaração do acórdão que o condena à perda de mandato e que vai manter-se no cargo enquanto tiver legitimidade jurídica para tal.

Macário Correia disse sentir-se "injustiçado" e "magoado" com todo o processo e garantiu que vai levar a batalha legal "até ao fim", sublinhando que está de "boa consciência" e este caso não o demove da sua motivação.

“O PS Faro renova a sua disponibilidade para ajudar os autarcas da coligação de direita em funções a chegar até ao fim do seu mandato com dignidade e exorta a maioria a concentrar-se na resolução dos problemas e tarefas do município em vez de tentativas de vitimização e manobras dilatórias para explicar o que está claro e decidido pelos tribunais”, acrescentaram os socialistas.

Lusa

Pub