Pub

“Há uma quebra no mandato que recebeu dos silvenses. Desrespeitou os compromissos e não assumiu as responsabilidades na gestão ruinosa a que conduziu a autarquia”, lê-se num comunicado do PS/Silves, ontem divulgado.

Isabel Soares, eleita pelo PSD para a presidência da Câmara de Silves, foi indicada no dia 05 de novembro para administradora delegada pela assembleia-geral da Águas do Algarve, empresa gestora do fornecimento de água e tratamento de esgotos dos municípios da região.

A autarca foi designada para o cargo, por unanimidade, pelos presidentes das 16 câmaras do Algarve.

A presidência da Câmara de Silves foi assumida por Rogério Pinto, até então vice-presidente da autarquia.

Para os socialistas de Silves, Isabel Soares “tem todo o direito” em pedir a suspensão do mandato, mas, questionam, “se lhe fica bem ter abandonado a presidência da câmara”, cargo para o qual foi eleita por quatro anos e que terminava em outubro de 2013.

Segundo o PS/Silves, a saída de Isabel Soares “agravou ainda mais os problemas da autarquia, uma vez que o PSD ainda não indicou o vereador permanente para preencher o lugar deixado vago pela autarca”.

“Da forma como este município tem vindo a ser gerido pelo PSD, é normal que agora não haja mais quem queira assinar por baixo. Impunha-se postura diferente da que vem exibindo, o abandono da sua presidente e dificuldade em arregimentar um vereador permanente”, sublinha o comunicado dos socialistas.

A agência Lusa tentou obter uma reação de Isabel Soares e do PSD/Silves, mas tal não foi possível até ao momento.

Lusa
Pub