Breves
Inicio | Sociedade | Queda de helicóptero em Monchique provocou um morto e dois feridos

Queda de helicóptero em Monchique provocou um morto e dois feridos

Destroços do aparelho acidentado  © Luís Forra/Lusa
Destroços do aparelho acidentado
© Luís Forra/Lusa

A queda de um helicóptero em Monchique, cerca das 14:30 de ontem, provocou um morto e dois feridos.

O aparelho da Heliportugal, que caiu em Vale de Água, estava ao serviço da EDP, no âmbito de trabalhos de verificação das linhas elétricas de média tensão, e terá colidido com cabos elétricos, tendo o alerta sido dado por trabalhadores que estavam no local e procediam ao corte de madeiras, disse fonte dos bombeiros locais.

O aparelho caiu numa zona de difícil acesso, entre Casais e Marmelete, e, segundo alguns dos trabalhadores, terá explodido ao embater no solo, provocando a morte de um técnico da EDP e ferimentos a outro técnico e ao piloto da aeronave.

Em comunicado, a Heliportugal adiantou que o helicóptero acidentado é do modelo EC120 Colibri e que foi adquirido novo à Eurocopter “especialmente para esta missão de vistoria de cabos de média e alta tensão”, missão que a empresa assegura “há mais de dez anos, com mais de dez mil horas de voo”.

A empresa, que afirma ser a única em Portugal a realizar este trabalho, lamentou o acidente e acrescentou estar a colaborar com as autoridades para tentar apurar as causas do acidente ainda desconhecidas, que deverão agora ser investigadas por inspetores do Instituto Nacional da Aviação Civil (INAC), tendo a GNR estabelecido um perímetro de segurança.

A EDP anunciou ter nomeado uma comissão interna para analisar as causas da queda do aparelho. Em comunicado, a empresa adiantou que o aparelho estava ao serviço da EDP Distribuição com o objetivo “de executar inspeções a linhas aéreas da rede elétrica de distribuição”, trabalho feito desde 1994, sendo realizada, em média, por ano, a inspeção de 25.000 quilómetros de linhas de energia elétrica, o que equivale a aproximadamente 800 horas de voo anuais.

A povoação de Marmelete e as zonas circundantes ao local da queda do helicóptero ficaram sem energia elétrica devido à quebra dos cabos pelo aparelho mas o fornecimento de eletricidade às subestações de Monchique, Aljezur e São Teotónio, assim como à zona envolvente ao local do acidente, foi reposto logo ontem.

Nas operações de socorro participaram 20 elementos da Autoridade Nacional de Proteção Civil, entre os quais 14 bombeiros.

com Lusa

Verifique também

Câmara regozija-se por Concentração de Motos de Faro com 25 mil pessoas e sem incidentes

A 38.ª Concentração Internacional de Motos terminou ontem com o tradicional desfile sem incidentes ou …