Pub

Pela segunda vez sou delegado da nossa diocese a um congresso eucarístico internacional. Questionei-me muito ao longo dos últimos meses qual o fruto a retirar para mim, para as minhas paróquias e para a nossa diocese desta possibilidade que iria viver novamente em representação da nossa igreja local. Hoje Jesus deu-me uma pista. Só uma Igreja centrada n’Ele é capaz de se tornar presença eficaz do Seu mistério de salvação e de amor no meio daqueles que já O conhecem e no coração ansioso daqueles que não sabem quem Ele é.

Ouvir o Padre Justo Lofeudo impeliu-me a escrever este texto. Vejamos… em Budapeste hoje foi o “dia da Paciência” e a coroar este dia, este sacerdote partilhou a sua experiência de fundação de centros de adoração eucarística perpétua onde “antes da ação temos a oração” (Papa Bento XVI). Do coração de uma igreja centrada na Eucaristia nascem as vocações e se renovam as paróquias. Sem medos pediu-nos que questionássemos os frutos que já surgiram onde isto acontece, as mudanças que se evidenciaram onde a dúvida deu lugar à proposta e onde os receios se alicerçaram na Fé.

Bem nos ensinou Jesus que “quem permanece n’Ele dá muito fruto porque sem Ele nada podemos fazer” (Jo 15, 5) e desta certeza nasce a maior graça: a Paz! Na Eucaristia o Senhor está diante de nós e em atitude de reparação experimentamos grandes benefícios para a alma na plenitude da Fé.

Como podemos também nós no Algarve aceder a este tão grande dom? – No risco da Fé! No risco e desafio de renovarmos os nossos esquemas centrados na presença real do Senhor, tantas vezes descuidada com gestos mal feitos, mas que pode ser reparada com actos de amor na possibilidade de uma adoração silenciosa de encontro e total enamoramento com O próprio Jesus. Não há nada mais eficaz! O que temos para oferecer? O silêncio! Um silêncio habitado pelo Senhor que sempre nos espera e que nos chama agora a isto… esgotados tantos planos e programas reencontremo-nos n’Ele e com Ele. Recentremos a nossa ação pastoral em Jesus porque só Ele nos pode fortalecer.

Numa sociedade cada mais secularizada, onde a perda da Fé e um total alheamento do Evangelho se afirmam, acreditemos que estes centros podem irradiar a paz! O activismo em que muitas vezes caímos a partir das nossas “melhores boas vontades” deve dar lugar a esta possibilidade de Deus que vence todas as impossibilidades humanas, mesmo que para isso precisemos de exercer a paciência como dom e experimentar o silêncio como caminho. Temos restrições? Dificuldades? – Certamente que sim! Mas temos sobretudo vontade de dar a Jesus o lugar primordial que Ele deve ter.

Onde? Onde for mais oportuno! Numa cidade ou numa aldeia! Quando? Logo que possamos! A adoração é uma necessidade vital para a Igreja! Buscar incessantemente a oração era hoje o desafio proposto por Moyses Azevedo, fundador da comunidade Shalom. A alegria de evangelizar é a marca desta comunidade. Todas as gerações desejam ser evangelizadas e os meios tradicionais já não são suficientes. Importa ir à Fonte para descobrir o caminho da Fonte. Importa ir com “os jovens para chegarmos aos outros jovens” (S. Paulo VI) porque “eles são o agora de Deus” (Papa Francisco) que “não tira nada mas dá tudo” (Papa Bento XVI). Para isto precisamos do tempo e da paciência de Deus que são absolutamente incríveis. O homem de hoje vive num ritmo assustador em que a velocidade se torna um vício. Recordava-nos o cardeal arcebispo de Myanmar que “mesmo se o apostolado do sorriso nos foi tirado, não nos roubaram a paciência de amarmos mais e sentirmos mais e em Maria, cuja natividade hoje se celebrou, encontramos o caminho da salvação que nos chega pela sua paciência e disponibilidade para o dom”.

Rosto da Paciência é o próprio Senhor, “paciente e cheio de misericórdia” (Sl 145,8) que uma vez descoberto nos pede que não fiquemos apenas pela Eucaristia mas façamos da nossa vida uma vida eucarística. Recebemos os apelos, temos os meios e a Fé. O que nos falta? Provavelmente correr o risco!
Quem alinha?

Padre Pedro Manuel, delegado da Diocese do Algarve
ao CEI Budapeste 2020 (em 2021)

Pub