Pub

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

O Renovamento Carismático Católico (RCC) do Algarve realizou a sua assembleia diocesana no passado sábado no salão da igreja de São Pedro do Mar, em Quarteira, com a participação de cerca de 160 representantes dos 18 grupos existentes na diocese algarvia, de Lagos a Vila Real de Santo António.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

A iniciativa, que teve como lema a passagem bíblica “Eu sou o Deus Supremo. Anda na Minha presença e sê perfeito” (Gn. 17, 1), contou com o padre José Alberto Magalhães, assistente nacional daquele movimento, como orador.

© Samuel Mendonça
Pe. José Alberto Magalhães, assistente nacional do Renovamento Carismático Católico © Samuel Mendonça

A partir da temática bíblica proposta, o sacerdote desafiou à descoberta de quem é Deus para desenvolvimento da espiritualidade pessoal e advertiu para as dificuldades no seguimento de Cristo, exortando à sua superação. “Cada dia temos de lutar, evitando deixarmo-nos seduzir por caminhos que não são aqueles que conduzem a Deus”, alertou o padre José Alberto Magalhães, que apelou à corresponsabilidade na Igreja.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

Na eucaristia de encerramento do encontro, o bispo do Algarve disse aos membros do RCC que eles acentuam a “dimensão ministerial e carismática” da Igreja.

© Samuel Mendonça
António Aparício, responsável do Renovamento Carismático Católico no Algarve © Samuel Mendonça

D. Manuel Quintas explicou que uma Igreja ministerial é “feita de serviços e ministérios” e uma Igreja carismática “vive e vibra com os dons dos Espírito Santo”.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

O prelado evidenciou ainda que, numa Igreja “ministerial e carismática”, ou seja, “que vive animada e enriquecida pelos dons que o Espírito [Santo] concede a cada um”, “há espaço para a vivência dos carismas”. “Cada um acolhe-os e põe-los a render ao serviço de todos”, complementou.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

D. Manuel Quintas lembrou que “os dons e os carismas estão ao serviço do bem comum, do anúncio do evangelho e da unidade e comunhão”, advertindo que se não fosse assim haveria “desagregação e seria uma contradição”.

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

A assembleia diocesana do RCC contou ainda com a presença do assistente espiritual diocesano, o cónego monsenhor Luís Cupertino, e com a animação de elementos de Lisboa.

Pub