Pub

A ‘Missão País’, promovida pelos estudantes da Universidade do Algarve (UAlg) no concelho de Alcoutim de 2 a 9 deste mês, foi visitada na passada quinta-feira por responsáveis nacionais daquele projeto de voluntariado.

Miguel Cordovil Pinho, chefe nacional, e Francisco Lobo Xavier, responsável da expansão da ‘Missão País’, simultaneamente com outras equipas de responsáveis nacionais, andam a visitar as diversas missões que estão a decorrer pelo país. “Viemos perceber como está a correr. Achamos importante existir um acompanhamento. Não queremos que as missões se sintam abandonadas”, explicou ao Folha do Domingo, o chefe nacional.

O projeto, que teve início em 2003 com apenas 20 universitários, expandiu-se este ano a mais quatro academias – Algarve, Aveiro Leiria e Santarém – e conta já com quase 3. 400 estudantes, num total de 55 universidades envolvidas. Os dois responsáveis explicaram ao Folha do Domingo que o alargamento do projeto à UAlg foi algo que decorreu naturalmente a partir do momento em que se tornou uma vontade dos estudantes daquela academia.

Miguel Cordovil Pinho explicou que este alargamento a mais quatro pólos no país “vem dar outra dinâmica” ao projeto, sustentando que, “por exemplo, o cargo de expansão não existia”.

O responsável daquele serviço adiantou o desejo da organização. “O grande sonho é chegar, verdadeiramente, ao país todo para que o nosso testemunho enquanto jovens – que é um sinal de esperança, da nossa força e da nossa vitalidade –, chegue a cada vez mais sítios”, complementou.

Francisco Lobo Xavier destacou que o objetivo é “criar a unidade da ‘Missão País’ para ser uma missão do país inteiro e não uma coisa independente de cada faculdade”.

Quarenta e um estudantes da UAlg levaram a cabo em Alcoutim a primeira ‘Missão País’ daquela academia

Pub